Tubarão-sedoso

Fotografia por q.phia, CC BY

Local da foto: Cuba

 Canon EOS 5D Mark II (Canon)
Distância Focal: 24mm  •  Abertura: f/6.3  •  Tempo de Exposição: 1/400s  •  ISO: 400
Data em que a foto foi tirada: 23/08/2017
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Tubarão-sedoso

Carcharhinus falciformis
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Chondrichthyes
Ordem Carcharhiniformes
Família Carcharhinidae
Gênero Carcharhinus
Nome Científico Carcharhinus falciformis(Müller & Henle, 1839)
Nome Inglês Silky Shark
Estado de Conservação NT  - Quase Ameaçada (IUCN / 2016)

Descrição

O tubarão-sedoso é uma espécie de tubarão da família Carcharhinidae, e é um dos três tubarões pelágicos mais comuns, juntamente com o tubarão-azul (Prionace glauca) e o tubarão-de-pontas-brancas-oceânico (Carcharhinus longimanus).

Um grande predador, o tubarão-sedoso recebeu seu nome comum por causa da sua pele excepcionalmente lisa, que tem uma tonalidade quase metálica. As partes superiores do seu corpo variam entre marrom, bronze e cinza, enquanto as partes inferiores são brancas. A cauda tem um lóbulo superior ligeiramente maior do que o lóbulo inferior, que proporciona um bom impulso para capturar presas que se movem rapidamente. As nadadeiras peitorais são longas e delgadas, e há duas nadadeiras dorsais, sendo que a segunda é consideravelmente menor do que a primeira. As nadadeiras dorsais muitas vezes são mais escuras do que o resto do corpo. Os olhos são relativamente grandes e os dentes são pequenos, mas fortemente serrilhados em ambos os lados para ajudar segurar presas escorregadias.

O tubarão-sedoso é um dos maiores membros do seu gênero e tem, em média, de 2,0 a 2,5 m de comprimento, mas pode atingir até 3,5 m e pesar até 346 kg. A fêmea geralmente é um pouco maior do que o macho.

Biologia

Um predador ativo, oportunista, curioso e agressivo, o tubarão-sedoso se alimenta principalmente de peixes ósseos pelágicos, tais como a cavala, o atum e a tainha. Ele também se alimenta de cefalópodes, como lulas, que são encontradas em profundidades maiores, e ocasionalmente se alimenta de crustáceos, como caranguejos.

O tubarão-sedoso pode ser uma espécie solitária e social. Os indivíduos mais novos são conhecidos por formarem grandes agregações, possivelmente para defesa mútua. Durante as migrações, mais de mil indivíduos podem se reunir. Esses grupos geralmente são segregados por tamanho, e no Pacífico talvez também por sexo. O tubarão-sedoso frequentemente se mistura com grupos de tubarão-martelo-recortado (Sphyrna lewini) e também pode seguir mamíferos marinhos.

Acredita-se que na maior parte do mundo o tubarão-sedoso reproduz durante todo o ano, enquanto o acasalamento e o nascimento no Golfo do México ocorrem no final da primavera ou no início do verão (maio a agosto). Como outros membros da sua família, o tubarão-sedoso é vivíparo, ou seja, os embriões se desenvolvem dentro da fêmea e nascem vivos. A espécie tem um longo período de gestação de 12 meses. O tamanho da ninhada varia entre 1 e 16 filhotes e aumenta com o tamanho da fêmea. Ninhadas com 6 a 12 filhotes são mais comuns. Os filhotes nascem em áreas de berçários de recifes na plataforma continental externa, onde há abundância de alimento e proteção contra grandes tubarões pelágicos. Os filhotes nascem medindo entre 70 e 85 cm de comprimento. Depois de alguns meses, eles se tornam subadultos e migram do berçário para o oceano aberto.

Os machos do tubarão-sedoso atingem a maturidade sexual entre 9 e 10 anos de idade, enquanto as fêmeas atingem a maturidade aos 12 anos. A expectativa de vida da espécie é de cerca de 23 anos.

Habitat

O tubarão-sedoso é uma espécie pelágica e habita principalmente mares abertos tropicais. Ele é encontrado com mais frequência da superfície até 200 m de profundidade, mas pode mergulhar até 500 m ou mais. Os adultos geralmente são encontrados em águas profundas, enquanto indivíduos menores são mais frequentes em águas costeiras mais rasas.

Distribuição

O tubarão-sedoso tem ampla distribuição pelos Oceanos Atlântico, Pacífico e Índico. É mais comum no Mar Vermelho, nas águas ao redor das Bahamas e na Ilha do Coco, no sudoeste do litoral sul da Costa Rica.

No Oceano Atlântico, é encontrado do estado americano de Massachusetts até a Espanha no norte, e do sul do Brasil até o norte de Angola no sul, incluindo o Mar Mediterrâneo, o Golfo do México e o Mar do Caribe.

Ocorre em todo o Oceano Índico, no extremo sul de Moçambique no oeste, e Austrália Ocidental no leste, incluindo o Mar Vermelho e o Golfo Pérsico.

No Oceano Pacífico, a extensão norte da sua distribuição varia do sul da China e do Japão até o sul da Baixa Califórnia e Golfo da Califórnia, enquanto a extensão sul da sua distribuição vai de Sydney, Austrália, até o norte da Nova Zelândia e até o norte do Chile.

Continentes de Ocorrência

África, América do Norte, América do Sul, Ásia, Austrália/Oceania, Europa

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Rigby, C.L., Sherman, C.S., Chin, A. & Simpfendorfer, C. 2016. Carcharhinus falciformis. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T39370A2909465. Acessado em 24 Out 2017.
  • Silky Shark fact file on ARKive.
  • Wikipedia contributors. "Silky Shark." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 28 Set. 2017. Web. 24 Out. 2017.

Mais Espécies de Peixes

Conheça mais espécies de Peixes selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.