Peixe-palhaço-laranja

Fotografia por Nick Hobgood, CC BY-NC

Local da foto: Papua Nova Guiné

 Canon EOS REBEL T3i (Canon)
Distância Focal: 50mm  •  Abertura: f/11.0  •  Tempo de Exposição: 1/160s  •  ISO: 100
Data em que a foto foi tirada: 03/05/2013
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Peixe-palhaço-laranja

Amphiprion percula
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Actinopterygii
Ordem Perciformes
Família Pomacentridae
Gênero Amphiprion
Nome Científico Amphiprion percula(Lacepède, 1802)
Nome Inglês Orange Clownfish, Percula Clownfish, True Percula Clownfish, Orange Anemonefish, Percula Anemonefish, True Percula Anemonefish
Estado de Conservação NE  - Não Avaliada pela IUCN

Descrição

O peixe-palhaço-laranja, conhecido também como peixe-palhaço-percula e peixe-palhaço-percula-verdadeiro, é um peixe marinho da família Pomacentridae. Os peixes-palhaços são conhecidos também como peixes-das-anêmonas.

O peixe-palhaço-laranja pode crescer até 11 cm de comprimento, mas em média, tem 8 cm, e pode ser reconhecido pelas três faixas brancas em seu corpo laranja brilhante, sem distinção de cor entre os sexos. A faixa branca anterior está localizada logo atrás dos olhos; a faixa do meio está localizada no meio do corpo do peixe; e a faixa posterior fica próxima da nadadeira caudal. A faixa do meio tem um desenho maior que se projeta para a frente. Além da coloração branca das faixas, uma borda preta com espessura variável delineia cada nadadeira do peixe.

O peixe-palhaço-laranja pode ser confundido com o peixe-palhaço-comum (Amphiprion ocellaris). A forma mais fácil para distinguir as duas espécies é o fato de que o peixe-palhaço-laranja tem 10 espinhos na primeira nadadeira dorsal e o peixe-palhaço-comum tem 11, que é uma distinção mais confiável do que os padrões de cores. O peixe-palhaço-comum não tem as bordas pretas grossas delineando as nadadeiras.

Biologia

Como outros peixes-palhaços, o peixe-palhaço-laranja vive em associação com as anêmonas-do-mar. Ele está associado especificamente com a anêmona-do-mar-magnífica (Heteractis magnifica), a anêmona-do-mar-de-couro (Heteractis crispa) e a anêmona-do-mar-tapete-gigante (Stichodactyla gigantea), e quando larva (peixe recém-eclodido) ele usa químicas liberadas pelas anêmonas para identificar e localizar a espécie hospedeira adequada para usá-la como abrigo e proteção. A simbiose entre o peixe-palhaço e as anêmonas depende da presença do peixe que atrai outros peixes para a anêmona. A anêmona ajuda o peixe-palhaço dando-lhe proteção contra predadores, e o peixe-palhaço ajuda a anêmona alimentando-a, aumentando a oxigenação e removendo resíduos do hospedeiro.

As anêmonas hospedeiras, que são organismos tubulares que residem em recifes de coral, geralmente são ocupadas por apenas uma espécie de peixe-palhaço, porque uma espécie não permite a presença de outra na mesma anêmona.

O peixe-palhaço-laranja se alimenta de zooplânctons, como copépodes e tunicados larvais. Possivelmente, ele consome algas dos recifes de coral ao redor ou até mesmo porções de alimentos que sobram de sua anêmona hospedeira.

Uma vez que estes peixes vivem em um ambiente de água quente, eles podem se reproduzir durante todo o ano. Cada grupo de peixe é composto por um casal reprodutor e de 0 a 4 não reprodutores. Dentro de cada grupo há uma hierarquia baseada em tamanho: a fêmea é maior, o macho reprodutor é o segundo maior, e os machos não reprodutores são gradualmente menores à medida que a hierarquia desce. A espécie apresenta protandria, ou seja, cada peixe nasce macho, mas só vai mudar para fêmea se a única fêmea reprodutora morrer. Se a fêmea morre, o macho reprodutor muda de sexo e torna-se a fêmea reprodutora, e o maior membro não reprodutor do grupo se torna o macho reprodutor.

O processo de desova está relacionado com o ciclo lunar. À noite, a lua mantém um nível mais elevado de alerta nos peixes, e isso aumenta a interação com machos e fêmeas. Antes da desova o macho atrai a fêmea através de um comportamento de cortejo. A fêmea coloca entre 400 e 1.500 ovos por ciclo. Os ovos são colocados em um local seguro perto da anêmona, onde estão facilmente protegidos. Os ovos eclodem entre 6 e 8 dias. Na eclosão as larvas nascem livres e nadam em direção a lua e mar aberto para nadarem nas correntes e comerem plânctons por cerca de uma semana, antes que os ainda pequenos peixes-palhaços metamorfoseados voltem para o recife e procurem uma anêmona para se hospedarem.

O tempo estimado do domínio de uma fêmea reprodutora é de aproximadamente 12 anos, e é relativamente longo para um peixe deste tamanho, mas é característico de outros peixes de recife.

Habitat

O peixe-palhaço-laranja é uma espécie de peixe de recife de coral especializado que vive dentro de anêmonas hospedeiras. Tanto o peixe-palhaço como as anêmonas residem em águas rasas e a profundidade geralmente não ultrapassa os doze metros, com a temperatura da água variando entre 25 e 28°C.

Distribuição

O peixe-palhaço-laranja é encontrado nos oceanos Pacífico e Índico, noroeste da Austrália, sudeste da Ásia e no Japão.

Continentes de Ocorrência

Ásia, Austrália/Oceania

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Wikipedia contributors. "Orange Clownfish." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 25 Feb. 2017. Web. 5 Apr. 2017.
  • Lee, J. 2003. "Amphiprion percula" (On-line), Animal Diversity Web.

Mais Espécies de Peixes

Conheça mais espécies de Peixes selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.