Arraia-manta-oceânica

Fotografia por Georg Antos, CC BY-NC-ND

Local da foto: Arquipélago de Revillagigedo, México

 Canon EOS 5D Mark III (Canon)
Distância Focal: 15mm  •  Abertura: f/22.0  •  Tempo de Exposição: 1/200s  •  ISO: 400
Data em que a foto foi tirada: 15/03/2014
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Arraia-manta-oceânica

Manta birostris
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Chondrichthyes
Ordem Myliobatiformes
Família Myliobatidae
Gênero Manta
Nome Científico Manta birostris(Walbaum, 1792)
Nome Inglês Oceanic Manta Ray, Giant Manta Ray, Pacific Manta Ray, Giant Oceanic Manta Ray, Chevron Manta Ray
Estado de Conservação VU  - Vulnerável (IUCN / 2011)

Descrição

A arraia-manta-oceânica, conhecida também como arraia-manta-gigante, é uma grande espécie de arraia da família Myliobatidae, é a maior espécie de arraia do mundo e um dos maiores elasmobrânquios.

A arraia-manta-oceânica tem um formato de corpo distinto, com "asas" peitorais triangulares e lóbulos que se parecem com remos e que se estendem na frente da boca. Conhecidos como "lóbulos cefálicos", estes são extensões das nadadeiras peitorais que formam uma estrutura com formato de funil no momento da alimentação, ajudando a canalizar a água repleta de plâncton para dentro da boca. Os lóbulos são enrolados em uma espiral quando a arraia está nadando.

O corpo (disco) da arraia-manta-oceânica é grande e largo, e existe uma pequena nadadeira dorsal em suas costas, com um espinho rudimentar logo atrás dela no lado superior da cauda. A cauda da arraia-manta-oceânica é delgada e ligeiramente achatada, e é mais curta do que a largura do corpo (disco). Os olhos estão situados nos lados da cabeça, e suas brânquias estão na parte inferior do corpo. A boca cavernosa está posicionada na parte da frente da cabeça e tem fileiras de pequenos dentes na mandíbula inferior.

A coloração da arraia-manta-oceânica pode ser muito variável. A maioria dos indivíduos pertencem a uma "morfia chevron", que é predominantemente preto na parte superior e branco na parte inferior, com grandes manchas brancas de "ombros" no dorso.

A parte inferior da arraia-manta-oceânica é em grande parte creme ao branco na cor, com graus variados de manchas e pontos escuros, principalmente no ventre. Geralmente existe uma marca preta semicircular proeminente atrás da quinta fenda branquial em cada lado do corpo, e as margens posteriores das nadadeiras peitorais têm uma cor escura. Essa espécie também tem uma coloração escura ao redor e dentro da boca.

A arraia-manta-oceânica também ocorre em uma impressionante "morfia preta", que é completamente preta na parte superior e principalmente preta na parte inferior, com exceção de uma área branca de tamanho variável ao redor das guelras e no ventre.

Anteriormente, a arraia-manta era considerada uma única espécie, mas foi separada em duas espécies, com base em diferenças de tamanho, aparência, habitat e comportamento - arraia-manta-oceânica (Manta birostris) e arraia-manta-de-recife (Manta alfredi). A arraia-manta-oceânica cresce mais do que a arraia-manta-de-recife, e também tem um espinho não funcional na cauda, que está ausente na arraia-manta-de-recife. As manchas brancas de "ombro" da arraia-manta-de-recife têm um formato de "Y" e desaparecem gradualmente do dorso, enquanto as manchas da arraia-manta-oceânica têm um formato de "T" e são claramente distintas do dorso preto. A arraia-manta-de-recife também tem uma boca com uma coloração que varia do branco ao cinza, ao invés da boca escura da arraia-manta-oceânica.

Os machos da arraia-manta-oceânica têm um tamanho de disco entre 5,2 e 6,1 m, e as fêmeas entre 5,5 e 6,8 m, mas essa espécie pode crescer até um tamanho de disco de 9 m e pesar até 2.000 kg.

Biologia

Uma nadadora excepcionalmente elegante, a arraia-manta-oceânica parece quase voar pelas águas usando suas grandes nadadeiras peitorais. Essa espécie é capaz de velocidades rápidas e mergulhos profundos, algumas vezes atingindo profundidades de mais de 1.000 m.

Apesar do seu enorme tamanho, a arraia-manta-oceânica se alimenta de pequenos organismos planctônicos, filtrando grandes volumes de água pela boca. O alimento é filtrado da água usando placas de tecido esponjoso de cor marrom/rosa entre as brânquias, conhecidas como "rastros branquiais". Quando está se alimentando, a arraia-manta-oceânica desenrola os lóbulos cefálicos carnudos em cada lado da sua cabeça e os utiliza para direcionar água para a boca.

Acredita-se que a arraia-manta-oceânica faz migrações sazonais para aproveitar regiões ricas em alimento. Apesar de geralmente ser solitária, essa espécie pode formar agregações onde há alimento em abundância ou para acasalamento. A arraia-manta-oceânica muitas vezes hospeda peixes menores chamados de rêmoras, que se fixam ao corpo da arraia e consomem partículas de alimentos que caem de sua boca. Ela também procura regularmente "estações de limpeza", onde peixes limpadores, como os bodiões (Labroides ssp.), retiram parasitas do seu corpo.

O namoro da arraia-manta-oceânica pode durar dias, com vários machos seguindo uma fêmea em um "comboio de acasalamento", competindo pelo direito de acasalar. Como em outras arraias e tubarões, a fertilização é interna, com o macho transferindo esperma para a fêmea usando um par de "clásperes" na parte interna das nadadeiras pélvicas.

O desenvolvimento dos ovos continua dentro do corpo da fêmea por até 12 meses e depois eclodem internamente, e a fêmea dá à luz filhotes vivos. Possivelmente, a fêmea dá à luz um ou ocasionalmente dois filhotes, provavelmente em águas rasas e à noite. Os nascimentos ocorrem apenas uma vez a cada 2 ou 5 anos. O filhote nasce com 1,2 a 1,5 m de diâmetro e pode dobrar de tamanho durante o primeiro ano de sua vida. Acredita-se que a arraia-manta-oceânica amadurece quando atinge uma largura de disco de aproximadamente 4 a 4,5 m nos machos e 5 a 5,5 m nas fêmeas. A expectativa de vida dessa espécie é de pelo menos 40 anos.

Habitat

A arraia-manta-oceânica é mais oceânica do que a arraia-manta-de-recife, e pode viajar grandes distâncias pelo oceano aberto. Ela parece ser um visitante sazonal de zonas costeiras, e é vista com frequência ao longo de costas produtivas com afloramentos regulares, bem como ao redor de ilhas oceânicas, pináculos marítimos e montanhas submarinas. A arraia-manta-oceânica visita com frequência recifes rasos para se alimentar e ser limpa por "peixes limpadores".

Distribuição

A arraia-manta-oceânica ocorre em águas tropicais, subtropicais e temperadas dos Oceanos Atlântico, Pacífico e Índico.

Continentes de Ocorrência

África, América do Norte, América do Sul, Ásia, Austrália/Oceania, Europa

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Wikipedia contributors. "Giant Oceanic Manta Ray." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 2 Mar. 2017. Web. 31 Mar. 2017.
  • Giant Manta Ray file on ARKive.
  • Shuraleff II, G. 2000. "Manta birostris" (On-line), Animal Diversity Web.
  • Marshall, A., Bennett, M.B., Kodja, G., Hinojosa-Alvarez, S., Galvan-Magana, F., Harding, M., Stevens, G. & Kashiwagi, T. 2011. Manta birostris. The IUCN Red List of Threatened Species 2011: e.T198921A9108067.

Mais Espécies de Peixes

Conheça mais espécies de Peixes selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.