Tamanduá-do-sul

Fotografia por Christian Sanchez, CC BY-NC

Local da foto: Brasil

 NIKON D4 (NIKON CORPORATION)
Distância Focal: 600mm  •  Abertura: f/7.1  •  Tempo de Exposição: 1/125s  •  ISO: 2000
Data em que a foto foi tirada: 07/07/2015
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Tamanduá-do-sul

Tamandua tetradactyla
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Mammalia
Ordem Pilosa
Família Myrmecophagidae
Gênero Tamandua
Nome Científico Tamandua tetradactyla(Linnaeus, 1758)
Nome Inglês Southern Tamandua, Collared Anteater, Lesser Anteater
Estado de Conservação LC  - Pouco Preocupante (IUCN / 2014)

Descrição

O tamanduá-do-sul, conhecido também como tamanduá-mirim e tamanduá-de-colete, é um mamífero da família Myrmecophagidae e uma das quatro espécies de tamanduá.

Como seu parente do norte, o tamanduá-do-norte (Tamandua mexicana), o tamanduá-do-sul tem quatro dedos com garras nas patas dianteiras e cinco nas patas traseiras, e ele anda sobre a superfície externa de suas patas dianteiras para evitar perfurar suas palmas com suas garras afiadas. A parte inferior e ponta da cauda não têm pelos. O focinho é longo e curvado com uma abertura muito estreita, da qual a língua se projeta para fora. Embora algumas diferenças no formato do crânio sejam vistas, o tamanduá-do-sul pode ser mais facilmente distinguido do tamanduá-do-norte pelas suas orelhas ligeiramente mais longas, que medem aproximadamente 5 cm, ao invés de 4 cm como no tamanduá-do-norte.

A variação geográfica e individual observada no tamanduá-do-sul torna a descrição taxonômica dessa espécie uma tarefa difícil. Espécimes da parte sudeste da sua área de ocorrência têm manchas pretas do ombro até a anca; a mancha preta se alarga perto dos ombros e circunda os membros anteriores. O resto do corpo pode ser loiro, marrom amarelado ou marrom. Espécimes do norte do Brasil e Venezuela até o oeste dos Andes são loiros sólidos, marrons ou pretos.

O tamanduá-do-sul é um tamanduá de tamanho médio, mas pode variar consideravelmente em tamanho com base nas condições ambientais. Ele tem um comprimento cabeça-corpo que varia entre 34 e 88 cm, e uma cauda preênsil de 37 a 67 cm de comprimento. Os adultos pesam entre 1,5 e 8,4 kg, sem diferença significativa de tamanho entre machos e fêmeas.

Biologia

O tamanduá-do-sul é um animal principalmente noturno, mas ocasionalmente é ativo durante o dia. Ele se aninha em troncos ocos de árvores ou em tocas de outros animais, como tatus. É um animal solitário, ocupando um território que varia, em média, de 100 a 375 ha, dependendo do ambiente local. Ele pode se comunicar quando provocado sibilando e liberando um odor desagradável de suas glândulas anais. Ele passa boa parte do seu tempo forrageando nas árvores. Na verdade, ele é bastante desajeitado no chão e anda devagar. Ao contrário do seu parente maior, o tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla), o tamanduá-do-sul não galopa.

O tamanduá-do-sul usa seus poderosos antebraços em autodefesa. Se ameaçado em uma árvore, ele agarra um galho com suas patas traseiras e cauda, deixando seus braços e longas garras curvadas livres para o combate. Se atacado no chão, ele se apoia contra uma rocha ou uma árvore e agarra o adversário com seus antebraços. Na floresta tropical, o tamanduá-do-sul é cercado por uma nuvem de moscas e mosquitos e é visto com frequência limpando esses insetos de seus olhos. É um animal que tem olhos pequenos e visão fraca, mas suas orelhas grandes e verticais indicam que a audição é um sentido importante.

O tamanduá-do-sul se alimenta de formigas e cupins em proporções aproximadamente iguais, mas ele também pode consumir uma pequena quantidade de frutas. Ele localiza seu alimento pelo olfato, e preda uma grande variedade de espécies, incluindo formigas legionárias, formigas do gênero Camponotus e cupins do gênero Nasutitermes. Ele evita comer formigas que possuem fortes defesas químicas e usa seus fortes membros dianteiros para abrir ninhos de formigas e cupins, e seu focinho alongado e língua arredondada (até 40 cm de comprimento) para lamber os insetos.

O acasalamento do tamanduá-do-sul geralmente ocorre no outono. O período de gestação varia de 130 a 190 dias e o filhote nasce na primavera. Ao nascer, o filhote não se parece com seus pais e sua pelagem varia da branca a preta. O filhote monta nas costas da mãe por algum tempo e às vezes é colocado em um galho seguro enquanto a mãe forrageia.

Habitat

O tamanduá-do-sul habita florestas úmidas e florestas secas, incluindo florestas tropicais, savanas e áreas de arbustos espinhosos. Ele parece ser mais comum em habitats perto de rios e riachos, mas especialmente em habitats densos com vinhas e epífitas (presumivelmente porque sua presa é comum nessas áreas). Ele ocorre do nível do mar até 2.000 m de altitude.

Distribuição

O tamanduá-do-sul é encontrado ao leste dos Andes da Colômbia e Venezuela, ilha de Trindade e Tobago, Guiana Francesa, Suriname, Guiana, ao sul até o norte do Uruguai e norte da Argentina.

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Wikipedia contributors. "Southern Tamandua." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 2 Mar. 2017. Web. 8 Apr. 2017.
  • Miranda, F., Fallabrino, A., Arteaga, M., Tirira, D.G., Meritt, D.A. & Superina, M. 2014. Tamandua tetradactyla. The IUCN Red List of Threatened Species 2014: e.T21350A47442916.

Mais Espécies de Mamíferos

Conheça mais espécies de Mamíferos selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.