Raposa-dos-pampas

Fotografia por Vinicios de Moura, CC BY-SA

Local da foto: Parque Nacional da Serra Geral, Cambará do Sul, Rio Grande do Sul

 Nikon D800 (Nikon)
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Raposa-dos-pampas

Lycalopex gymnocercus
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Mammalia
Ordem Carnivora
Família Canidae
Gênero Lycalopex
Nome Científico Lycalopex gymnocercus(G. Fischer, 1814)
Nome Inglês Pampas Fox, Azara's Fox, Azara's Zorro
Estado de Conservação LC  - Pouco Preocupante (IUCN / 2016)

Descrição

A raposa-dos-pampas, conhecida também como graxaim-do-campo e raposa-de-azara, é uma espécie de mamífero da família Canidae. Apesar do nome, a raposa-dos-pampas não é uma raposa verdadeira, assim como todos os membros do gênero Lycalopex. Um de seus nomes comuns (raposa-de-azara) é uma referência ao naturalista espanhol Félix de Azara.

A raposa-dos-pampas se assemelha a raposa-andina (Lycalopex culpaeus) em aparência e tamanho, mas tem um focinho proporcionalmente mais largo, pele avermelhada na cabeça e no pescoço, e uma mancha negra no focinho. Tem pelo curto e denso que é cinza na maior parte do corpo, com uma linha preta nas costas e na cauda, e pálido, quase branco, nas partes inferiores. As orelhas são triangulares, largas e relativamente grandes, e são avermelhadas na área externa e branco na área interna. Como outras espécies do gênero, sua longa e espessa cauda tem duas manchas pretas: uma no lado superior da base da cauda e outra na ponta.

Os adultos têm entre 51 e 80 cm de comprimento e pesam entre 2,4 e 8 kg; os machos são aproximadamente 10% mais pesados do que as fêmeas. Na região norte da sua área de ocorrência, a raposa-dos-pampas é mais colorida do que na região sul.

Biologia

As raposas-dos-pampas têm um estilo de vida relativamente solitário, exceto na época de reprodução e ao cuidar de seus filhotes. Apresentam dois comportamentos particularmente interessantes. São conhecidas por coletarem objetos que parecem ser na maior parte inúteis para elas, como pedaços de tecido e couro, que são frequentemente encontrados em suas tocas. Elas também parecem fingir de mortas quando há aproximação de humanos. Se são surpreendidas, essas raposas se jogam ao chão, rígidas, com os olhos fechados, e permanecem nessa posição até passar a ameaça. Embora principalmente noturnas, elas podem ser ativas durante o dia em áreas com baixa população humana.

Essa espécie é monogâmica. Não se sabe se essas raposas mantêm o mesmo companheiro em épocas de reprodução subsequentes, uma vez que são solitárias fora da época de reprodução. Ambos os pais cuidam dos filhotes. O período de gestação é de 55 a 60 dias. As fêmeas dão à luz entre 3 e 5 filhotes em uma toca entre rochas, sob bases de árvores ou em tocas feitas por outros animais. Os filhotes nascem quase pretos, mas ficam mais claros durante o crescimento. O macho da raposa-dos-pampas traz comida para a fêmea e seus filhotes. A fêmea fica dentro da toca até os filhotes completarem três meses de idade. Nesse momento, os filhotes começam a caçar com os pais. A raposa-dos-pampas pode viver até 14 anos em cativeiro.

A raposa-dos-pampas é onívora, mas come principalmente carne. Cerca de 75% da sua dieta é composta de roedores, lagomorfos (coelhos, lebres, e pikas) e aves. Essas raposas são conhecidas por comerem sapos e lagartos. Frutas e outras matérias vegetais, como talos de cana-de-açúcar, às vezes são consumidos. Perto de habitações humanas, podem atacar aves domésticas.

Habitat

A raposa-dos-pampas tem preferência por habitats de pampas abertos, muitas vezes próximos de áreas agrícolas, mas também pode ser encontrada em florestas do chaco ou montanhosas, cerrado, e habitats úmidos. É mais comum abaixo de 1.000 m de altitude, mas pode habitar pastagens montanhosas de até 3.500 m.

Distribuição

A raposa-dos-pampas é nativa dos pampas da América do Sul e pode ser encontrada no centro e norte da Argentina, Uruguai, leste da Bolívia, Paraguai e sul do Brasil.

Ameaças

As principais ameaças para as raposas-dos-pampas vêm dos humanos que as caçam por causa de suas peles e para evitar que ataquem animais domésticos. Também podem ser afetadas pela perda de seu habitat natural, embora sejam comuns na maioria das áreas onde foram estudadas.

Subespécies

  • Lycalopex gymnocercus gymnocercus
  • Lycalopex gymnocercus antiquus
  • Lycalopex gymnocercus domeykoanus
  • Lycalopex gymnocercus gracilis
  • Lycalopex gymnocercus maulinicus

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Wikipedia contributors. "Pampas Fox." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 24 Feb. 2017. Web. 28 Mar. 2017.
  • Cooper, T. 2003. "Lycalopex gymnocercus" (On-line), Animal Diversity Web.
  • Lucherini, M. 2016. Lycalopex gymnocercus. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T6928A85371194.

Fotos da Espécie

Mais Espécies de Mamíferos

Conheça mais espécies de Mamíferos selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.