Raposa-anã

Copyright © Brent Paull, www.amwestphoto.com

Local da foto: Califórnia, Estados Unidos

 NIKON D3S (NIKON CORPORATION)
Distância Focal: 500mm  •  Abertura: f/5.6  •  Tempo de Exposição: 1/5000s  •  ISO: 800
Data em que a foto foi tirada: 24/06/2012
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Raposa-anã

Vulpes macrotis
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Mammalia
Ordem Carnivora
Família Canidae
Gênero Vulpes
Nome Científico Vulpes macrotisMerriam, 1888
Nome Inglês Kit Fox
Estado de Conservação LC  - Pouco Preocupante (IUCN / 2014)

Descrição

A raposa-anã é uma espécie de mamífero da família Canidae e o menor canídeo na América do Norte.

A característica mais distinta da espécie são as orelhas excepcionalmente grandes, que ajudam a dissipar o calor do corpo em seu ambiente de deserto, e também dá a raposa uma excelente audição As orelhas têm entre 71 e 95 mm de altura. Essa raposa tem um corpo delgado, pernas longas e uma cauda muita espessa com a ponta preta. A cor da pelagem varia de acordo com a estação, variando do bege ferrugem ao cinza amarelado no verão, ao cinza prateado no inverno, com o ventre esbranquiçado. O pelo é denso entre as almofadas das patas, dando a raposa melhor tração no solo arenoso do seu habitat, ao mesmo tempo, protege as patas do calor da areia do deserto. A raposa-anã e a raposa-veloz (Vulpes velox) anteriormente foram consideradas uma única espécie, mas evidências mais recentes indicam que as duas espécies são distintas. Ambas as raposas são chamadas de raposa-velozes, devido à sua capacidade de correr muito rápido, atingindo 50 km/h em curtas distâncias.

Essa espécie apresenta dimorfismo sexual, com os machos sendo ligeiramente maiores. O peso médio da espécie está entre 1,6 e 2,7 kg. O comprimento (cabeça-corpo) é de 45 a 53 cm, mais uma cauda de 25 a 34 cm de comprimento.

Biologia

As raposas-anãs são essencialmente monogâmicas e geralmente formam casais para a vida toda. O acasalamento ocorre de meados de dezembro a janeiro, com ninhadas contendo de 1 a 7 filhotes, que nascem em uma toca de meados de fevereiro a meados de março. Os filhotes são desmamados e saem da toca em cerca de quatro semanas, e tornam-se independentes aos 5 ou 6 meses de idade. Jovens, geralmente fêmeas, podem retardar a dispersão e permanecer no território dos pais para ajudar na próxima ninhada. Na natureza podem viver até 7 anos.

Raposas-anãs geralmente são ativas durante a noite, mas ocasionalmente apresentam comportamento crepuscular. Casais reprodutores regularmente compartilham tocas durante todo o ano. Várias tocas são usadas, sejam auto-escavadas ou feitas a partir de tocas modificadas de outros animais, ou estruturas feitas por humanos, como bueiros e tubos abandonados. Geralmente, caçadoras solitárias, essas raposas consomem principalmente roedores, coelhos, aves, anfíbios, carniça e pequenas quantidades de frutos.

Habitat

A raposa-anã ocupa regiões áridas e semiáridas, abrangendo as planícies/pradarias abertas do centro-oeste da América do Norte, semidesertos e desertos do sudoeste dos Estados Unidos. É encontrada em altitudes entre 400 e 1.900 m, embora evite terrenos acidentados com encostas. Áreas agrícolas, especialmente pomares e até mesmo ambientes urbanos, também podem ser habitados.

Distribuição

A raposa-anã é encontrada apenas no oeste da América do Norte. Nos Estados Unidos, a distribuição da raposa-anã se estende do sul da Califórnia ao oeste do Colorado e oeste do Texas, do norte para o sul de Oregon e Idaho. No México, são encontradas principalmente nos estados de Coahuila, Chihuahua e Nuevo León, e em toda a Baixa Califórnia.

Ameaças

A predação, principalmente por coiotes (Canis latrans), é a principal fonte de mortalidade das raposas-anãs e geralmente representa mais de 75% das mortes. Outras espécies que têm ainda mais competição e pressão de caça incluem a raposa-vermelha (Vulpes vulpes), o cão-doméstico (Canis familiaris), o lince-vermelho (Lynx rufus), e as grandes aves de rapina. No entanto, a ameaça mais significativa para a sobrevivência a longo prazo da raposa-anã é a conversão de habitats, principalmente em áreas agrícolas. Em particular, o habitat de importantes populações de raposas-anãs no oeste e no leste do México está sendo rapidamente convertido em áreas agrícolas, enquanto um grande número de estradas estão sendo construídas no leste do México. Essas mudanças têm causado deslocamento, mortalidade direta e indireta, barreiras de circulação e redução de populações de presas. No México, raposas-anãs ocasionalmente são vendidas ilegalmente no mercado de animais de estimação, e a captura limitada para o comércio de peles ainda ocorre em alguns estados dos Estados Unidos.

Subespécies

  • Vulpes macrotis arsipus
  • Vulpes macrotis devia
  • Vulpes macrotis macrotis
  • Vulpes macrotis mutica
  • Vulpes macrotis neomexicana
  • Vulpes macrotis nevadensis
  • Vulpes macrotis tenuirostris
  • Vulpes macrotis zinseri

Continentes de Ocorrência

América do Norte

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Wikipedia contributors. "Kit Fox." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 25 Feb. 2017. Web. 28 Mar. 2017.
  • Kit Fox fact file on ARKive.
  • Patton, A. 2008. "Vulpes macrotis" (On-line), Animal Diversity Web.
  • Canid Specialist Group.
  • Cypher, B. & List, R. 2014. Vulpes macrotis. The IUCN Red List of Threatened Species 2014: e.T41587A62259374.

Fotos da Espécie

Mais Espécies de Mamíferos

Conheça mais espécies de Mamíferos selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.