Leopardo-africano

Fotografia por Greg Willis, CC BY-SA

Local da foto: Otjozondjupa, Namíbia

 Canon EOS 20D (Canon)
Distância Focal: 220mm  •  Abertura: f/5.6  •  Tempo de Exposição: 1/200s  •  ISO: 200
Data em que a foto foi tirada: 13/10/2006
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Leopardo-africano

Panthera pardus pardus
 Subespécie
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Mammalia
Ordem Carnivora
Família Felidae
Gênero Panthera
Nome Científico Panthera pardus pardus(Linnaeus, 1758)
Nome Inglês African Leopard
Estado de Conservação VU  - Vulnerável (IUCN / 2016)

Descrição

O leopardo-africano é uma espécie de mamífero da família Felidae, uma das subespécies de leopardo existentes e um dos grandes felinos da África.

O leopardo-africano apresenta uma grande variação na cor da pelagem dependendo da localização e habitat. A cor da pelagem varia do amarelo pálido em áreas mais secas e mais quentes, ao amarelo profundo em áreas de florestas. As manchas ou rosetas, são circulares nos leopardos da região leste da África e têm um formato mais quadrado nos leopardos do sul da África. Leopardos com melanismo (pelagem totalmente preta) também podem ocorrer, muitas vezes chamados de pantera negra.

O leopardo-africano macho é maior do que a fêmea, com peso médio de 60 kg, mas pode pesar até 91 kg. A fêmea pesa, em média, entre 35 e 40 kg.

Biologia

O leopardo-africano é um felino essencialmente solitário e noturno, sendo mais ativo entre o entardecer e ao amanhecer. Durante o dia ele descansa no alto das árvores ou na vegetação densa. Sua pelagem malhada proporciona uma excelente camuflagem.

O leopardo-africano tem uma capacidade excepcional de se adaptar as mudanças na disponibilidade de presas, e tem uma dieta muito variada. Presas pequenas são abatidas quando há menos disponibilidade de ungulados. Suas presas variam do pequeno escaravelho até elandes adultos que podem pesar 900 kg. Quando o leopardo persegue uma presa, ele se mantém abaixado e caminha silenciosamente pela vegetação sem ser notado até estar perto o suficiente para atacar. Ele mata sua presa por asfixia, agarrando-a pelo pescoço e mordendo com suas poderosas mandíbulas. Quando não está caçando, ele pode andar pelos rebanhos de antílopes sem perturbá-los, virando a cauda sobre o seu dorso para mostrar o lado branco da cauda, um sinal de que ele não está à procura de presas.

Com frequência, o leopardo-africano leva grandes presas para o alto das árvores, um comportamento que exige grande força.

Cada leopardo tem um território que sobrepõe o território de outros leopardos vizinhos. O território do macho é muito maior e, geralmente, sobrepõe os territórios de várias fêmeas. Um leopardo geralmente não tolera um intruso em seu território, exceto para acasalar. Encontros inesperados entre leopardos podem resultar em lutas. Ele tem um olfato bem desenvolvido e marca seu território com urina, e também deixa marcas de garras em árvores como um sinal de alerta para outros leopardos.

A fêmea do leopardo-africano dá à luz uma ninhada de 2 a 3 filhotes após um período de gestação de aproximadamente 2,5 meses. Os filhotes nascem com uma pelagem cinza esfumaçada, pois as rosetas ainda não estão claramente delineadas. A fêmea mantém os filhotes escondidos por cerca de 8 semanas, e eles são amamentados durante um período de 3 meses ou mais. Os filhotes começam a comer carne com 6 a 7 semanas de idade.

Habitat

O leopardo-africano habita bosques, savanas e florestas, mas também ocorre em habitats de montanha, matagal, áreas pantanosas, desertos e semidesertos. Ele ocorre desde o nível do mar até 4.600 m de altitude, no Monte Quênia.

Distribuição

O leopardo-africano é encontrado na maior parte da África Subsaariana.

Ameaças

Em toda a África as maiores ameaças para o leopardo-africano são a conversão do habitat e a perseguição intensa, especialmente em retaliação à perda do gado. Em florestas tropicais intactas, a principal ameaça para o leopardo-africano, provavelmente, é a concorrência pelas presas com caçadores humanos - o enorme volume de espécies selvagens abatidas para a obtenção da carne diminui substancialmente as presas selvagens do leopardo nas florestas, o que pode conduzir extinções localizadas.

O envenenamento de carcaças por proprietários de gado para atingir grandes carnívoros é uma ameaça que cresce rapidamente.

A pele e os caninos do leopardo-africano são muito comercializados no mercado interno em alguns países da África Ocidental, onde as peças são usadas em rituais tradicionais e vendidas abertamente nas aldeias e cidades.

Continentes de Ocorrência

África

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Wikipedia contributors. "African Leopard." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 28 Mar. 2017. Web. 6 Apr. 2017.
  • Stein, A.B., Athreya, V., Gerngross, P., Balme, G., Henschel, P., Karanth, U., Miquelle, D., Rostro-Garcia, S., Kamler, J.F., Laguardia, A., Khorozyan, I. & Ghoddousi, A. 2016. Panthera pardus. (errata version published in 2016) The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T15954A102421779.
  • Out to Africa.

Fotos da Espécie

Mais Espécies de Mamíferos

Conheça mais espécies de Mamíferos selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.