Gato-macambira

Fotografia por Tambako The Jaguar, CC BY-ND

Local da foto: Zoológico de Mulhouse, França

 NIKON D4 (NIKON CORPORATION)
Distância Focal: 400mm  •  Abertura: f/4.0  •  Tempo de Exposição: 1/1000s  •  ISO: 1600
Data em que a foto foi tirada: 15/03/2014
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Gato-macambira

Leopardus tigrinus
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Mammalia
Ordem Carnivora
Família Felidae
Gênero Leopardus
Nome Científico Leopardus tigrinus(Schreber, 1775)
Nome Inglês Northern Tiger Cat, Northern Oncilla
Estado de Conservação VU  - Vulnerável (IUCN / 2016)

Descrição

O gato-macambira é uma espécie de mamífero da família Felidae. É um dos menores felinos selvagens da América do Sul e lembra o gato-maracajá (Leopardus wiedii) e a jaguatirica (Leopardus pardalis), mas é menor, com um corpo mais delgado e focinho mais estreito.

O gato-macambira tem pelo macio e grosso, variando do marrom-claro ao ocre-escuro, com numerosas rosetas escuras pelo corpo. A parte inferior é clara com manchas escuras, e a cauda é anelada. A parte de trás das orelhas é preta com ocelos em negrito. As rosetas são pretas ou marrons, abertas no centro e de formato irregular. As pernas têm manchas de tamanho médio, afinando para manchas menores perto das patas. Essa coloração ajuda o felino a se misturar com a luz do sol mosqueada dentro da floresta tropical. Já foram relatados espécimes com melanismo em regiões com florestas mais densas em sua área de ocorrência.

O gato-macambira tem entre 38 e 59 cm de comprimento (cabeça-corpo) e uma cauda de 20 a 42 cm. Apesar de ser um pouco mais comprido do que um gato-doméstico (Felis catus) médio, o gato-macambira geralmente é mais leve, pesando entre 1,5 e 3 kg. Os machos são ligeiramente maiores do que as fêmeas.

Biologia

O gato-macambira é principalmente terrestre, mas também é um bom escalador. Como todos os felinos, é carnívoro. Sua dieta é composta de pequenos mamíferos, lagartos, aves, ovos, invertebrados e, ocasionalmente, pererecas.

O gato-macambira geralmente é um animal noturno, mas em áreas como a caatinga, onde a sua principal fonte de alimento consiste de lagartos diurnos, ele é mais propenso a ser ativo durante o dia.

O período de gestação do gato-macambira é de aproximadamente 75 dias. A fêmea geralmente dá à luz um filhote, mas podem nascer até 3 filhotes. Quando nascem, os filhotes pesam entre 92 e 134 g, e abrem os olhos entre 7 e 18 dias após o nascimento. A maioria dos filhotes estão completamente independentes aos 4 meses de idade e aos 11 meses estão completamente crescidos. As fêmeas do gato-macambira atingem a maturidade sexual depois de 2 anos de idade, e os machos depois dos 18 meses. Na natureza esse felino pode viver entre 10 e 14 anos e, em cativeiro, vive em média, entre 16 e 20 anos.

Habitat

O gato-macambira prefere habitats florestados e é encontrado em uma grande variedade de ecossistemas de florestas, incluindo florestas tropicais densas em elevações que variam do nível do mar até 1.500 m. De 350 a 1.500 m, o gato-macambira pode ser encontrado em florestas tropicais ou florestas de encostas úmidas. De 1.500 m acima, ele pode ser encontrado em florestas montanhosas úmidas ou em florestas nebulosas. Evidências sugerem que esta espécie está se expandindo para florestas decíduas e florestas subtropicais, e no Brasil, ele tem habitado com sucesso savanas e áreas de arbustos espinhosos semiáridas também.

Distribuição

A área de distribuição do gato-macambira se expande da Costa Rica e Panamá na América Central, até o Brasil central. Seus limites ao sul ainda não são bem conhecidos, bem como a extensão de uma possível sobreposição com as populações do gato-do-mato-pequeno. Sua distribuição na bacia amazônica possivelmente é fragmentada e não contínua. O gato-macambira está ausente da Península Darién, que liga a América Central e América do Sul, bem como dos Llanos da Colômbia e Venezuela, e Chaco paraguaio. Do Equador e Peru, existem apenas alguns espécimes de museu e, só em 2000, a espécie foi formalmente confirmada na Bolívia através de armadilhas fotográficas.

Ameaças

As maiores ameaças para o gato-macambira incluem a perda e fragmentação do habitat, estradas, comércio ilegal de peles, tráfico de espécies e morte por retaliação, uma vez que o felino pode atacar aves domésticas.

Subespécies

  • Leopardus tigrinus tigrinus - ocorre no norte da América do Sul, possivelmente até a Bolívia e norte da Argentina.
  • Leopardus tigrinus oncilla - ocorre na Costa Rica e possivelmente no Panamá.

Continentes de Ocorrência

América do Norte, América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Wikipedia contributors. "Oncilla." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 23 Mar. 2017. Web. 28 Mar. 2017.
  • Patel, C. 2011. "Leopardus tigrinus" (On-line), Animal Diversity Web.
  • Cat Specialist Group (CatSG).
  • Instituto Pró-Carnívoros.
  • Payan, E. & de Oliveira, T. 2016. Leopardus tigrinus. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T54012637A50653881.
  • Cat Specialist Group. Acessado em 19 Fev 2018.

Mais Espécies de Mamíferos

Conheça mais espécies de Mamíferos selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.