Dingo

Fotografia por Newretreads, CC BY-SA

Local da foto: Ilha Fraser, Austrália

 Canon EOS 7D Mark II (Canon)
Distância Focal: 200mm  •  Abertura: f/2.8  •  Tempo de Exposição: 1/2500s  •  ISO: 100
Data em que a foto foi tirada: 16/04/2016
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Dingo

Canis lupus dingo
 Subespécie
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Mammalia
Ordem Carnivora
Família Canidae
Gênero Canis
Nome Científico Canis lupus dingoMeyer, 1793
Nome Inglês Dingo
Estado de Conservação VU  - Vulnerável (IUCN / 2008)

Descrição

O dingo é uma subespécie do lobo-cinzento (Canis lupus) e um membro da família Canidae.

Um cão de tamanho médio, o dingo tem pernas longas, é elegante e atlético de grande agilidade, velocidade e resistência. A pelagem geralmente possui uma coloração de areia, avermelhada ou ruiva, com pelos de cor creme no peito, patas e na ponta da cauda. Um pequeno número de indivíduos são pretos com manchas brancas e castanhas, embora dingos completamente pretos e completamente brancos ocorrem com pouca frequência. Os machos são nitidamente maiores do que as fêmeas, e os dingos australianos tendem a ser maiores do que os da Ásia. A cauda é peluda e, como os lobos e outros cães selvagens, os dingos têm grandes dentes caninos e carniceiros.

Um dingo australiano médio tem entre 1,17 e 1,54 m de comprimento do nariz à ponta da cauda. O peso médio é de 13 a 20 kg. Os machos são maiores e mais pesados do que as fêmeas. Dingos do Norte e Noroeste da Austrália são maiores do que as populações do Sul e Centro da Austrália. Dingos australianos são invariavelmente mais pesados do que os asiáticos.

Biologia

Embora associações próximas, às vezes, são formadas para caçar cooperativamente grandes presas, jovens adultos vivem principalmente uma vida solitária fora da época de acasalamento. Essas matilhas de 3 a 12 indivíduos são formadas geralmente por um macho e uma fêmea dominantes e seus parentes subordinados. A reprodução se restringe a uma ninhada por ano por matilha, nascida da fêmea alfa, enquanto os outros membros da matilha ajudam a cuidar dos filhotes do casal dominante. A fêmea dominante mata os filhotes de quaisquer outras fêmeas da matilha.

Na Austrália, os dingos se reproduzem de março a abril; no sudeste da Ásia eles acasalam entre agosto e setembro. A gestação dura entre 61 e 69 dias, com um tamanho médio da ninhada de 1 a 10 indivíduos. As fêmeas da matilha ajudam a mãe criar e até amamentar os filhotes, e os machos e fêmeas da matilha ajudam alimentar os filhotes regurgitando alimento e água para os filhotes, que geralmente se tornam independentes entre 3 e 6 meses de idade. As fêmeas geralmente atingem a maturidade sexual entre 9 e 10 meses de idade, mas não começam a reproduzir até os 2 anos de idade, enquanto os machos atingem a maturidade sexual completa entre 1 e 3 anos de idade. Dingos vivem entre 7 e 8 anos na natureza e até 13 anos em cativeiro.

O dingo é um caçador oportunista e caçará pequenas presas sozinho, como coelhos, roedores, aves e lagartos. Eles caçam em duplas ou em grupos familiares quando perseguem grandes presas como cangurus, wallabies e ovelhas. Uma vez que as populações asiáticas vivem próximas dos humanos, a maior parte da sua dieta é composta de lixo doméstico, incluindo arroz cozido, frutas e outras sobras.

Habitat

O dingo é encontrado em todos os habitats, incluindo pantanais e florestas tropicais, desertos áridos quentes, picos cobertos de neve na Austrália, e charnecas alpinas acima de 3.800 m de altitude em Papua Nova Guiné. Na Ásia, muitas populações de dingo vivem perto de assentamentos humanos. As tocas são feitas em cavernas, buracos de coelho ou troncos ocos, geralmente na proximidade de água.

Distribuição

Embora geralmente descrito como uma espécie australiana, o dingo não está restrito à Austrália e nem se originou lá, mas foi transportado para lá da Ásia continental entre 3.500 e 4.000 anos atrás. Dingos geneticamente puros ocorrem no centro e no norte da Austrália e em toda a Tailândia. No entanto, com base apenas em características fenotípicas externas, populações dispersas também podem ocorrer em todo o sudeste da Ásia, Mianmar, Camboja, China, Índia, Indonésia, Laos, Malásia, Papua Nova Guiné, Filipinas e Vietnã.

Ameaças

Embora as populações de dingo permaneçam relativamente abundantes na Austrália e em outros países, a proporção de indivíduos puros está diminuindo rapidamente devido à hibridação com cães-domésticos. Em vários países asiáticos, os dingos são vendidos em mercados de alimentos humanos, com sua carne fornecendo uma importante fonte de proteína para as populações indígenas, e seus dentes caninos são usados como decoração na Indonésia e em ilhas do Pacífico.

Outra fonte de mortalidade para o dingo vem da perseguição. Em áreas agrícolas e de pastoreio, os dingos podem estar sujeitos ao envenenamento, armadilhas ou tiros. Desde 1836 até recentemente, não havia ainda um sistema de recompensa em vigor em toda a Austrália continental, e na maior parte do sul-leste da Austrália, esta perseguição, combinada com a perda de habitat, tem levado à eliminação do dingo.

Na ausência do dingo, outros animais considerados como pragas, como a introduzida raposa-vermelha (Vulpes vulpes) e o coelho-europeu (Oryctolagus cuniculus) podem se proliferar, com impactos significativos, muitas vezes prejudiciais no ecossistema. Como um predador de topo, o dingo pode ter se tornado essencial para a biodiversidade da paisagem australiana, mas agora enfrenta possível extinção.

Continentes de Ocorrência

Ásia, Austrália/Oceania

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Wikipedia contributors. "Dingo." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 30 Mar. 2017. Web. 30 Mar. 2017.
  • Dingo fact file on ARKive.
  • Corbett, L.K. 2008. Canis lupus ssp. dingo. The IUCN Red List of Threatened Species 2008: e.T41585A10484199.

Mais Espécies de Mamíferos

Conheça mais espécies de Mamíferos selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.