Caracol-comum

Fotografia por Eric Bégin, CC BY-NC-ND

 E-520 (OLYMPUS IMAGING CORP. )
Distância Focal: 35mm  •  Abertura: f/8.0  •  Tempo de Exposição: 1/400s  •  ISO: 200
Data em que a foto foi tirada: 11/07/2009
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Caracol-comum

Cornu aspersum
Reino Animalia
Filo Mollusca
Classe Gastropoda
Ordem Sem Classificação
Família Helicidae
Gênero Cornu
Nome Científico Cornu aspersum(Muller, 1774)
Nome Inglês Common Snail
Estado de Conservação NE  - Não Avaliada pela IUCN

Descrição

O caracol-comum é uma espécie de caracol terrestre. Como tal, é um molusco gastrópode pulmonado da família Helicidae, que inclui os caracóis terrestres mais conhecidos. Em textos em inglês, o caracol-comum foi classificado sob o nome Helix aspersa por mais de dois séculos, mas a classificação predominante agora o coloca no gênero Cornu.

O caracol-comum tem uma concha calcária fina e dura de 25 a 40 mm de diâmetro e 25 a 35 mm de altura, com quatro ou cinco espirais. A concha é variável na cor e tonalidade, mas geralmente é marrom-escura, dourada, acastanhado ou castanho com listras amarelas, manchas ou raias (caracteristicamente interrompidas por faixas marrons). A abertura é grande e caracteristicamente oblíqua, sua margem nos adultos é branca e refletida.

O corpo do caracol-comum é mole e viscoso, de cor cinza acastanhado, e o animal se retrai totalmente para a concha quando está inativo ou é ameaçado. Quando ferido ou muito irritado, o animal produz uma espuma defensiva de muco que pode repelir alguns inimigos ou submergir pequenas formigas agressivas ou similares. Ele não tem opérculo. Durante o tempo frio ou seco ele veda a abertura da concha com uma fina membrana de muco seco. O termo para essa membrana é epifragma. O epifragma ajuda o caracol reter umidade e o protege de pequenos predadores, como algumas formigas.

Durante períodos de atividade a cabeça do caracol e o "pé" ou "barriga" emergem. A cabeça tem quatro tentáculos; os dois superiores são maiores e têm sensores de luz como se fossem olhos, e os dois menores são órgãos sensoriais táteis e olfativos. O caracol estende os tentáculos pela pressão interna de fluídos corporais, e retrai os quatro tentáculos na cabeça pela invaginação quando ameaçado. A boca está localizada sob os tentáculos e contém uma rádula quitinosa com a qual o caracol raspa e manipula partículas de alimento.

Biologia

O caracol-comum é um animal principalmente herbívoro com uma ampla gama de plantas hospedeiras. Ele se alimenta de vários tipos de árvores frutíferas, hortaliças, flores de jardim e cereais. Ele também é um limpador onívoro que se alimenta de matéria vegetal em decomposição e ocasionalmente se alimentará de matéria animal, tal como caracóis e minhocas esmagadas. Por sua vez, o caracol é uma fonte de alimento para muitos outros animais, incluindo pequenos mamíferos, muitas espécies de aves, lagartos, sapos, centopeias, insetos predadores e caracóis terrestres predadores. A espécie pode, ocasionalmente, ser usada como um indicador de poluição ambiental, visto que ele deposita metais pesados em sua concha, como o chumbo, por exemplo.

Como outros pulmonados, o caracol-comum é hermafrodita, produzindo gametas machos e fêmeas. A reprodução geralmente é sexual, embora a autofertilização ocorra algumas vezes. Cerca de duas semanas após a fertilização, o caracol coloca um lote de cerca de 80 ovos esféricos brancos perolizados em fendas na camada superficial do solo ou abrigados sob pedras ou similares. Em um ano ele pode colocar seis lotes de ovos ou mais. O tamanho do ovo é de 4 mm. Os jovens caracóis levam de um a dois anos para atingir a maturidade. Em algumas regiões do mundo fazendas produzem caracóis comercialmente.

Habitat

O caracol-comum habita locais abrigados e geralmente é encontrado em áreas de solos de base rica, falésias, pedreiras, jardins urbanos e terrenos baldios.

Distribuição

O caracol-comum é nativo da região do Mediterrâneo (incluindo o Egito) e Europa ocidental, do noroeste da África e Península Ibérica, para o leste até a Ásia Menor, e para o norte até as Ilhas Britânicas.

Mais ou menos no início do século 20, várias formas e subespécies endêmicas do norte da África foram descritas com base nas características da concha. A subespécie mais comum, Cornu aspersum aspersum, se tornou muito abundante, principalmente em habitats humanos agrícolas e residenciais, onde o clima é temperado, mediterrâneo ou subtropical. Ele se espalhou para muitas regiões geográficas pelos seres humanos, deliberadamente ou acidentalmente. Ele está presente em todos os continentes, exceto na Antártida, e ocorre na maioria das principais ilhas também.

Continentes de Ocorrência

África, América do Norte, América do Sul, Ásia, Austrália/Oceania, Europa

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Wikipedia contributors. "Cornu aspersum." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 12 Mar. 2017. Web. 6 Apr. 2017.
  • Canadian Food Inspection Agency (CFIA).

Mais Espécies de Invertebrados

Conheça mais espécies de Invertebrados selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.