Suiriri-oriental

Fotografia por Andy Reago & Chrissy McClarren, CC BY

Local da foto: Missouri, Estados Unidos

 NIKON D5300 (NIKON CORPORATION)
Distância Focal: 300mm  •  Abertura: f/4.0  •  Tempo de Exposição: 1/500s  •  ISO: 125
Data em que a foto foi tirada: 04/06/2017
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Suiriri-oriental

Tyrannus tyrannus
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Passeriformes
Família Tyrannidae
Gênero Tyrannus
Nome Científico Tyrannus tyrannus(Linnaeus, 1758)
Nome Inglês Eastern Kingbird
Estado de Conservação LC  - Pouco Preocupante (IUCN / 2016)

Descrição

O suiriri-oriental, conhecido também como suiriri-valente, é uma ave passeriforme da família Tyrannidae.

A plumagem do suiriri-oriental é preta dorsalmente e branca ventralmente, com uma faixa cinza discreta no peito. A cabeça é preta, mais escura do que as asas e o dorso, e tem uma crista erétil de penas, mas nem sempre é notada. A cauda é preta e tem uma faixa terminal branca visível. O macho tende a levantar as penas da coroa mais do que a fêmea. A coroa tem uma pequena mancha avermelhada, laranja ou amarela, mas raramente é vista. O bico, garras, pernas e pés são pretos. Tem cabeça grande, postura ereta, cauda de ponta quadrada e um bico reto e relativamente curto. Macho e fêmea são semelhantes na aparência, mas o macho é um pouco maior. Os jovens se parecem muito com os adultos, mas são muito mais maçantes, mais pálidos e têm penas mais cinza acastanhadas nas partes superiores.

O suiriri-oriental tem entre 19 e 23 cm de comprimento e seu peso varia entre 33 e 55 g.

Biologia

O suiriri-oriental geralmente não anda ou pula, em vez disso, voa de um lugar para outro. É um voador rápido e ágil e faz várias exibições aéreas interessantes. É ativo durante o dia e defende seu território agressivamente durante a época de reprodução, além de ser muito intolerante com a presença de outras aves, inclusive com indivíduos da sua própria espécie. No entanto, durante a migração e o inverno se torna muito social.

Uma espécie migratória, o suiriri-oriental migra para o sul no inverno, geralmente no final de julho ou agosto, com bandos migratórios variando em tamanho, de pequenos grupos de 5 a 12 indivíduos até milhares de indivíduos. Curiosamente, os bandos tendem a ser maiores durante a migração de outono do que durante a migração para o norte na primavera, e os comportamentos social e reprodutivo também são diferentes entre o inverno e o verão. O suiriri-oriental retorna para os seus locais de reprodução no norte na primavera, e tipicamente chega à América do Norte no início até meados de abril. Os bandos migratórios podem parar por vários dias em áreas com alimentos abundantes.

Durante a época de reprodução, o suiriri-oriental se alimenta principalmente de insetos voadores, como vespas, gafanhotos e moscas, mas também pode complementar sua dieta com frutos. Pequenos vertebrados, incluindo rãs, ocasionalmente são consumidos, e estes tipicamente são batidos contra um poleiro antes de serem engolidos inteiros. Grandes insetos também são tratados dessa maneira, enquanto insetos menores são engolidos assim que são capturados. Consome muito mais frutos durante a migração de outono, e nas áreas de invernada os frutos tendem a compor a base da dieta dessa espécie. Curiosamente, o suiriri-oriental raramente é visto bebendo água, e acredita-se que ele obtém a umidade necessária para a sua sobrevivência de insetos e frutos.

O período de reprodução do suiriri-oriental ocorre do final de abril a agosto, variando geograficamente e dentro das populações. Durante a época de reprodução, o macho faz exibições aéreas para atrair a fêmea, voando em zigue-zague com suas asas tremulando enquanto vocaliza. A fêmea constrói o ninho em um período de 1 ou 2 semanas, enquanto o macho permanece atento a predadores e competidores. O ninho é construído no alto de uma árvore e é feito de pequenos galhos, cascas, caule de plantas secas e raízes. O interior do ninho é forrado com material macio. A fêmea coloca uma ninhada de 2 a 5 ovos (geralmente 3) de cor creme com manchas avermelhadas. O período de incubação é de 14 a 17 dias e apenas a fêmea incuba os ovos. Os filhotes são alimentados pelo casal e deixam o ninho depois de 16 a 17 dias de vida. Os filhotes ainda são alimentados pelo casal por 3 a 4 semanas depois de deixarem o ninho.

Habitat

Dentro da sua área de reprodução, o suiriri-oriental tende a favorecer habitats abertos, como campos, pastagens, pradarias e pântanos, bem como bordas de florestas. A espécie mostra uma preferência por áreas com arbustos e árvores esparsas, e também pode reproduzir em florestas queimadas recentemente, em campos de golfe e em ambientes urbanos.

Durante a migração, o suiriri-oriental pode ser encontrado em uma grande variedade de habitats, incluindo matas, dunas e florestas de pinheiros. A espécie inverna nas florestas úmidas da América do Sul, embora geralmente apenas ao longo das bordas de tais habitats perto de rios e lagos e nunca no interior das florestas.

Distribuição

O suiriri-oriental ocorre em grande parte do Canadá e Estados Unidos, e está ausente apenas do Alasca, norte do Canadá e de partes do sudoeste dos Estados Unidos. Na migração, o suiriri-oriental para na América Central antes de continuar para a sua área de invernada na América do Sul. As áreas de invernada desta espécie estão localizadas principalmente no oeste da Amazônia e em grande parte dos Andes, incluindo partes da Argentina e do Chile. Ocasionalmente inverna na Venezuela, na Guiana e no leste do Brasil, e há populações vagantes na Groelândia, Dominica, Jamaica e Geórgia do Sul.

Subespécies

Continentes de Ocorrência

América do Norte, América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • BirdLife International. 2016. Tyrannus tyrannus. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T22700506A93781244. Acessado em 14 Jun 2018.
  • D. Lepage, J. Warnier, 2014. The Peters' Check-list of the Birds of the World (1931-1987) Database. Accessed on 14 Jun 2018 from Avibase, the World Database.
  • All About Birds, Eastern Kingbird (Tyrannus tyrannus).
  • Dewey, T. 2009. "Tyrannus tyrannus" (On-line), Animal Diversity Web. Acessado em 14 Jun 2018.
  • Eastern Kingbird fact file on ARKive.
  • Clements, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L. Wood. 2018. The eBird/Clements checklist of birds of the world: v2018.

Fotos da Espécie

Mais Espécies de Aves

Conheça mais espécies de Aves selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.