Saíra-turquesa

Copyright © Michel GIRAUD-AUDINE

Local da foto: Caiena, Guiana Francesa

 DSLR-A550 (SONY)
Distância Focal: 300mm  •  Abertura: f/4.5  •  Tempo de Exposição: 1/160s  •  ISO: 200
Data em que a foto foi tirada: 23/12/2011
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Saíra-turquesa

Tangara mexicana
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Passeriformes
Família Thraupidae
Gênero Tangara
Nome Científico Tangara mexicana(Linnaeus, 1766)
Nome Inglês Turquoise Tanager
Estado de Conservação LC  - Pouco Preocupante (IUCN / 2017)

Descrição

A saíra-turquesa, conhecida também como saíra-de-bando, é uma ave passeriforme da família Thraupidae. Apesar do seu nome científico, Tangara mexicana, a espécie não ocorre no México ou em qualquer lugar da América Central.

As subespécies Tangara mexicana media, Tangara mexicana vieilloti, Tangara mexicana boliviana e Tangara mexicana mexicana têm fronte, face, lados do pescoço e peito azul-turquesa escuro. A região loreal é preta. As partes superiores são extensivamente pretas. A parte ventral é amarelo-clara. Os flancos são azul-turquesa com manchas pretas espalhadas. A subespécie Tangara mexicana brasiliensis (considerada uma espécie distinta por alguns autores) é maior, e o azul da face, coberteiras das asas, peito, flancos e uropígio é mais pálido, sendo um azul prateado pálido, em vez de um azul-turquesa profundo; e o ventre é branco, não amarelo-claro. A saíra-turquesa tem íris marrom ou marrom-escura, o bico é preto, e as pernas e pés são pretos, preto-azulados ou ardósia.

A subespécie Tangara mexicana brasiliensis tem 14 cm de comprimento e 26 g de peso. As outras 4 subespécies têm 12 cm de comprimento e peso entre 17 e 23,5 g.

A saíra-turquesa tem coloração de plumagem semelhante à da saíra-diamante (Tangara velia), mas essa tem uropígio opalescente brilhante, peito azul-arroxeado e a parte inferior do ventre castanho-avermelhada (não amarelo-clara ou branca). Outra espécie semelhante é a saíra-opala (Tangara callophrys), mas essa tem coroa e sobrancelha opala distintas, bem como a parte inferior do ventre preta (não amarelo-clara ou branca).

Biologia

A dieta da saíra-turquesa é composta de uma variedade de frutos, mas insetos também são consumidos, muitas vezes capturados de galhos.

A espécie é altamente social e vive em pequenos grupos de 3 a 6 indivíduos, às vezes, até 10 indivíduos, cujos laços persistem durante a época de reprodução. Viaja em pequenos grupos pela copa das árvores com os indivíduos seguindo uns aos outros de perto e chamando constantemente em voo. Raramente é vista em bandos de espécies mistas.

Na parte norte da sua área de ocorrência, a reprodução da saíra-turquesa pode ocorrer durante a maior parte do ano. Na Colômbia, ocorre de fevereiro a outubro. Em Trindade, de abril a outubro. No Suriname, de fevereiro a agosto.

O ninho da saíra-turquesa é uma taça de gramíneas e folhas mortas forrado com raízes finas, construído apenas pela fêmea em uma árvore ou arbusto. A fêmea coloca uma ninhada de 2 a 3 ovos esbranquiçados com manchas cinzentas e marrons. Os ovos são incubados apenas pela fêmea e o período de incubação é de 12 a 14 dias. Até 4 ou 5 adultos ajudam a alimentar os filhotes e juvenis. Com 6 semanas de idade, os filhotes já se alimentam sozinhos e com 8 semanas já têm plumagem semelhante à dos adultos.

Habitat

A saíra-turquesa habita florestas úmidas de planícies, bordas de florestas, clareiras de florestas com árvores dispersas, florestas de crescimento secundário, florestas inundadas, parques e jardins.

Distribuição

A saíra-turquesa é encontrada em Trindade, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia, Brasil, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

Subespécies

  • Tangara mexicana media - ocorre do extremo leste da Colômbia até o leste da Venezuela e no noroeste do Brasil.
  • Tangara mexicana vieilloti - ocorre em Trindade.
  • Tangara mexicana boliviana - ocorre do leste da Colômbia até o norte da Bolívia e no oeste da Amazônia brasileira.
  • Tangara mexicana mexicana - ocorre na zona tropical das Guianas.
  • Tangara mexicana brasiliensis - ocorre na costa do sudeste do Brasil (sul da Bahia até o Rio de Janeiro). Alguns autores consideram esta subespécie uma espécie distinta - cambada-de-chaves (Tangara brasiliensis).

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • BirdLife International. 2017. Tangara mexicana (amended version of 2016 assessment). The IUCN Red List of Threatened Species 2017: e.T103849376A119556880. Acessado em 03 Out 2018.
  • D. Lepage, J. Warnier, 2014. The Peters' Check-list of the Birds of the World (1931-1987) Database. Accessed on 03 Oct 2018 from Avibase, the World Database.
  • Hart, J. and K. J. Burns (2011). Turquoise Tanager (Tangara mexicana), version 1.0. In Neotropical Birds Online (T. S. Schulenberg, Editor). Cornell Lab of Ornithology, Ithaca, NY, USA.
  • Hilty, S. (2018). Turquoise Tanager (Tangara mexicana). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona. Acessado em 03 Out 2018.
  • Clements, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L. Wood. 2018. The eBird/Clements checklist of birds of the world: v2018.

Fotos da Espécie

Mais Espécies de Aves

Conheça mais espécies de Aves selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.