Saíra-sete-cores

Fotografia por Dario Sanches, CC BY-NC

Local da foto: Ubatuba, São Paulo, Brasil

 D40 (NIKON)
Distância Focal: 300mm  •  Abertura: f/5.6  •  Tempo de Exposição: 1/320s  •  ISO: 400
Data em que a foto foi tirada: 27/08/2009
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Saíra-sete-cores

Tangara seledon
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Passeriformes
Família Thraupidae
Gênero Tangara
Nome Científico Tangara seledon(Muller, 1776)
Nome Inglês Green-headed Tanager
Estado de Conservação LC  - Pouco Preocupante (IUCN / 2016)

Descrição

A saíra-sete-cores é uma ave passeriforme da família Thraupidae.

Como outras espécies de saíras do gênero Tangara, a saíra-sete-cores tem uma plumagem complexa e brilhante, composta de múltiplas cores vibrantes. A cabeça é verde-turquesa brilhante, com uma ampla faixa verde-amarela brilhante que se estende ao redor da cabeça, da nuca até a parte superior do dorso. O resto do dorso é preto, o uropígio é laranja e as coberteiras superiores da cauda são verde-amarelas brilhantes. As coberteiras secundárias são azul-violeta escuro. A alula e as coberteiras primárias são pretas com bordas azul-violeta nas teias externas. As penas de voo são pretas com bordas largas de cor verde brilhante. A cauda é preta com bordas verde-claras na base, tornando-se azul-turquesa distalmente. Nas partes inferiores, a garganta é preta, o peito e ventre superior são azul-turquesa, e o ventre inferior e o crisso são verde-amarelos brilhantes. A íris é marrom-escura e o anel ocular é preto. O bico é preto e sua base apresenta uma plumagem preta. As pernas e pés são pretos ou cinza-escuros. Macho e fêmea são semelhantes na aparência, mas a fêmea tende a ter uma plumagem ligeiramente mais maçante. Indivíduos imaturos são mais maçantes do que a fêmea adulta.

A saíra-sete-cores tem 13 cm de comprimento e seu peso varia entre 16 e 20 g.

A saíra-sete-cores tem padrão de plumagem semelhante ao da saíra-pintor (Tangara fastuosa) e da saíra-paraíso (Tangara chilensis). As três espécies têm cabeça esverdeada ou azulada, preto no dorso, e uropígio laranja, amarelo ou vermelho. Embora exista semelhança entre as espécies, a saíra-sete-cores é facilmente distinguida dessas duas espécies pela ampla faixa verde-amarela brilhante que se estende ao redor da cabeça, da nuca até a parte superior do dorso, bem como pelas penas de voo pretas com bordas verdes brilhantes.

Biologia

A saíra-sete-cores tem uma dieta composta principalmente de uma variedade de frutos cultivados, tais como laranja, mamão, goiaba, ameixa, banana, etc., e de frutos selvagens de árvores/plantas dos gêneros Hamelia, Urtica, Ficus, etc. Também se alimenta de bagas de bromélias, sementes e insetos. É uma ave muita ativa quando está forrageando, realizando movimentos acrobáticos ao pular ao longo de galhos, e é capaz de manipular frutos com o bico para remover as sementes e alcançar a polpa.

A espécie pode ser encontrada em pares, em grupos familiares ou em grupos maiores de 6 a 12 indivíduos, ocasionalmente até 20 indivíduos, e pode se juntar a bandos de espécies mistas para forragear.

A saíra-sete-cores é uma espécie monogâmica. A época de reprodução ocorre entre novembro e fevereiro no Brasil, em novembro e dezembro no Paraguai, e em novembro no nordeste da Argentina. O ninho é uma taça compacta construído pelo casal com gramíneas e folhas, e é forrado com materiais macios. O ninho geralmente está escondido na vegetação, na folhagem densa de árvores ou arbustos, ou em plantas ao longo de troncos e galhos.

A fêmea da saíra-sete-cores coloca uma ninhada de 2 a 3 ovos de coloração branca rosada com manchas cinzentas e marrons. Os ovos são incubados pela fêmea durante um período de 13 a 14 dias. Os filhotes deixam o ninho entre 14 e 18 dias após a eclosão dos ovos, e ainda dependerão dos pais por algumas semanas após deixarem o ninho. Jovens de ninhadas anteriores podem acompanhar os adultos por vários meses durante o primeiro ano.

Habitat

A saíra-sete-cores é uma espécie da Mata Atlântica. Habita principalmente florestas tropicais de planícies, mas habita também florestas tropicais de montanha, florestas de crescimento secundário, bordas de florestas, clareiras de florestas com árvores esparsas, áreas cultivadas, pomares, parques, jardins e até mesmo áreas próximas de assentamentos humanos.

Distribuição

A saíra-sete-cores é encontrada no sudeste e sul do Brasil (da Bahia e Minas Gerais até o Rio Grande do Sul), sudeste do Paraguai (Alto Paraná, Itapúa) e nordeste da Argentina (Misiones).

Subespécies

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • BirdLife International. 2016. Tangara seledon. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T22722827A94787040. Acessado em 04 Out 2018.
  • Hilty, S. (2018). Green-headed Tanager (Tangara seledon). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona. Acessado em 04 Out 2018.
  • Agpaoa, J. and K. J. Burns (2012). Green-headed Tanager (Tangara seledon), version 1.0. In Neotropical Birds Online (T. S. Schulenberg, Editor). Cornell Lab of Ornithology, Ithaca, NY, USA.
  • Oiseaux-birds.com
  • Saíra-sete-cores (Tangara seledon). WikiAves, a Enciclopédia das Aves do Brasil.
  • Clements, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L. Wood. 2018. The eBird/Clements checklist of birds of the world: v2018.

Fotos da Espécie

Mais Espécies de Aves

Conheça mais espécies de Aves selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.