Saíra-paraíso

Copyright © Rodrigo Gazmuri

Local da foto: Parque Nacional de Manú, Peru

  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Saíra-paraíso

Tangara chilensis
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Passeriformes
Família Thraupidae
Gênero Tangara
Nome Científico Tangara chilensis(Vigors, 1832)
Nome Inglês Paradise Tanager
Estado de Conservação LC  - Pouco Preocupante (IUCN / 2016)

Descrição

A saíra-paraíso, conhecida também como saíra-sete-cores-da-amazônia, é uma ave passeriforme da família Thraupidae.

A plumagem da saíra-paraíso é complexa e brilhante, composta de múltiplas cores vibrantes e as quatro subespécies existentes podem ser distinguidas pela cor do uropígio. A cabeça é verde-clara brilhante, com um anel ocular preto. A nuca, dorso superior, asas, coberteiras superiores e inferiores da cauda, cauda e área central do ventre são pretos. O dorso inferior é vermelho brilhante. O uropígio é vermelho (subespécie nominal chilensis), amarelo (subespécie chlorocorys), amarelo-cádmio (subespécie caelicolor) ou amarelo-claro (subespécie paradisea). As coberteiras superiores das asas são azul-escuras ou azul-claras, dependendo da subespécie. O queixo e a garganta são azul-violeta ou azul-escuros, assim como as coberteiras primárias maiores. O peito, lados, flancos e ventre são azul-turquesa, e a área central do ventre é preta. A íris é marrom, o bico, pernas e pés são pretos. Macho e fêmea são semelhantes na aparência.

A saíra-paraíso tem entre 12 e 13 cm de comprimento e pesa entre 16 e 27 g.

A saíra-paraíso tem padrão de plumagem semelhante ao da saíra-sete-cores (Tangara seledon) e da saíra-pintor (Tangara fastuosa). As três espécies têm cabeça esverdeada ou azulada, preto no dorso, e uropígio laranja, amarelo ou vermelho. Embora exista semelhança entre as espécies, a saíra-paraíso pode ser distinguida dessas duas espécies pela cabeça verde-clara brilhante, nuca preta, queixo e garganta azul-violeta ou azul-escuros, e pela área central do ventre preta.

Biologia

A dieta da saíra-paraíso é composta de frutos e insetos. Forrageira principalmente no dossel superior, mas também forrageira em árvores frutíferas mais baixas e em arbustos altos nas bordas de florestas e em clareiras.

A saíra-paraíso é altamente gregária, geralmente encontrada em grupos de 5 a 20 indivíduos e em bandos de espécies mistas. Se associa com frequência à saíra-ouro (Tangara schrankii) e saís.

O período de reprodução da saíra-paraíso ocorre de junho até o final de agosto no Peru. O ninho tem formato de taça e é construído no dossel. A fêmea é predominantemente responsável pela construção do ninho, enquanto o macho acompanha a fêmea quando ela está recolhendo materiais de nidificação, ou canta ou chama perto do local de nidificação enquanto a fêmea constrói o ninho. Há alguns relatos de macho e fêmea construindo o ninho juntos. A fêmea geralmente coloca uma ninhada de 2 a 4 ovos branco-esverdeados e fortemente manchados de marrom e preto. O período de incubação é de 13 a 17 dias e, após a eclosão, ambos os pais alimentam os filhotes.

Habitat

A saíra-paraíso normalmente habita florestas tropicais de planícies, florestas secundárias, bordas de florestas e clareiras perto de árvores frutíferas.

Distribuição

A saíra-paraíso é encontrada na Amazônia do Brasil, Guiana Francesa, Suriname, Guiana, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia, em elevações entre 100 e 1.100 m e, ocasionalmente, até 1.700 m na zona tropical.

Subespécies

  • Tangara chilensis caelicolor - ocorre da Colômbia a leste dos Andes até o sul da Venezuela e noroeste do Brasil.
  • Tangara chilensis chilensis - ocorre do sudeste da Colômbia até o norte da Bolívia e no oeste da Amazônia do Brasil.
  • Tangara chilensis chlorocorys - ocorre nas regiões norte e central do Peru (vale do Alto Huallaga).
  • Tangara chilensis paradisea - ocorre do leste da Venezuela até as Guianas e norte do Brasil.

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • BirdLife International 2016. Tangara chilensis. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T22722820A94786489. Acessado em 18 Nov 2018.
  • Berneberg, N. L. and K. J. Burns (2011). Paradise Tanager (Tangara chilensis), version 1.0. In Neotropical Birds Online (T. S. Schulenberg, Editor). Cornell Lab of Ornithology, Ithaca, NY, USA. Acessado em 18 Nov 2018.
  • Field Guide to the Songbirds of South America: The Passerines. Robert S. Ridgely, Guy Tudor. University of Texas Press, 2009. Pag. 594.
  • Clements, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L. Wood. 2018. The eBird/Clements checklist of birds of the world: v2018.

Mais Espécies de Aves

Conheça mais espécies de Aves selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.