Saíra-diamante

Fotografia por João Quental, CC BY

Local da foto: Mato Grosso, Brasil

 NIKON D4 (NIKON CORPORATION)
Distância Focal: 600mm  •  Abertura: f/5.6  •  Tempo de Exposição: 1/2000s  •  ISO: 1000
Data em que a foto foi tirada: 25/01/2014
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Saíra-diamante

Tangara velia
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Passeriformes
Família Thraupidae
Gênero Tangara
Nome Científico Tangara velia(Linnaeus, 1758)
Nome Inglês Opal-rumped Tanager, Silver-breasted Tanager, Silvery-breasted Tanager
Estado de Conservação LC  - Pouco Preocupante (IUCN / 2017)

Descrição

A saíra-diamante é uma ave passeriforme da família Thraupidae.

No geral, a plumagem da saíra-diamante é predominantemente azul e preta. A coroa, nuca, dorso, escapulários e cauda são pretos, com o uropígio opalescente brilhante, que se torna opala-esverdeado mais distalmente antes de se tornar mais azul nas coberteiras superiores da cauda. O queixo, sobrancelha, auriculares e região malar são de cor azul cerúleo, enquanto a garganta é azul-arroxeada escura com uma faixa preta irregular. As primárias, secundárias e coberteiras secundárias são pretas com bordas azul-arroxeadas escuras. O peito, lados e flancos são azul-arroxeados (ou são azul-prateados na subespécie Tangara velia cyanomelas) e a parte inferior do ventre, crisso e as coberteiras inferiores da cauda são castanho-avermelhadas. A íris é marrom-escura, o bico é preto, mais comprido e mais fino que a maioria das espécies do gênero Tangara, e as pernas e pés são pretos. Macho e fêmea são semelhantes em tamanho e plumagem, mas a fêmea tende a ter uma coloração ligeiramente mais maçante. Indivíduos juvenis são semelhantes às fêmeas adultas, mas a face é muito mais escura.

A saíra-diamante tem entre 12 e 14 cm de comprimento e seu peso varia entre 19 e 23 g.

A saíra-diamante é parecida com a saíra-opala (Tangara callophrys), mas essa tem coroa e sobrancelha opala distintas, bem como a parte inferior do ventre preta (não castanho-avermelhada). Outra espécie semelhante é a saíra-turquesa (Tangara mexicana), mas essa tem o uropígio azul e a parte ventral amarelo-clara ou branca (não castanho-avermelhada).

Biologia

A saíra-diamante, como outras espécies do gênero Tangara, é onívora. Se alimenta principalmente de frutos, bagas e insetos. Forrageia principalmente no dossel superior, ao redor das coroas das árvores, em pares ou em bandos de espécies mistas. Costuma procurar nos galhos externos e mais finos das árvores por frutos e bagas, e nas epífitas por insetos e vegetação comestível. Raramente desce até arbustos e subdossel de bordas de florestas para forragear.

Apresenta comportamento social variável. Pode viajar ou forragear sozinha, em pares ou em bandos de espécies mistas maiores.

A reprodução da saíra-diamante não é bem documentada. O ninho tem formato de taça. A fêmea coloca uma ninhada de 2 a 3 ovos de coloração branca acinzentada densamente pontilhados com cinza-escuro. O período de incubação é de aproximadamente 15 a 17 dias.

Habitat

A saíra-diamante habita principalmente florestas tropicais de planícies e, com menos frequência, florestas secundárias, bordas de florestas, plantações sombreadas e clareiras com pequenas árvores.

Distribuição

A saíra-diamante tem uma distribuição disjunta. Três subespécies são encontradas na Bacia Amazônica nos seguintes países: Venezuela, Colômbia, Equador, Guiana, Suriname, Guiana Francesa, Brasil, Peru e Bolívia. A quarta subespécie está isolada das outras três e é encontrada na costa leste do Brasil (de Pernambuco até o Rio de Janeiro).

Subespécies

  • Tangara velia iridina - ocorre da Colômbia (leste dos Andes) até o norte da Bolívia e noroeste do Brasil.
  • Tangara velia velia - ocorre nas Guianas e no norte da Amazônia brasileira.
  • Tangara velia signata - ocorre na região tropical do norte do Brasil (sul do rio Amazonas no Pará).
  • Tangara velia cyanomelas - ocorre na costa leste do Brasil (de Pernambuco até o Rio de Janeiro). Alguns autores consideram esta subespécie uma espécie distinta - saíra-pérola (Tangara cyanomelas).

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • BirdLife International. 2017. Tangara velia (amended version of 2016 assessment). The IUCN Red List of Threatened Species 2017: e.T22722953A119558614. Acessado em 14 Out 2018.
  • Lerman, E. and K. J. Burns (2012). Opal-rumped Tanager (Tangara velia), version 1.0. In Neotropical Birds Online (T. S. Schulenberg, Editor). Cornell Lab of Ornithology, Ithaca, NY, USA.
  • Clements, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L. Wood. 2018. The eBird/Clements checklist of birds of the world: v2018.

Mais Espécies de Aves

Conheça mais espécies de Aves selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.