Saí-turquesa

Fotografia por Nick Athanas, CC BY-NC-SA

Local da foto: Departamento de Cundinamarca, Colômbia

 Canon EOS 5D Mark III (Canon)
Distância Focal: 420mm  •  Abertura: f/5.6  •  Tempo de Exposição: 1/320s  •  ISO: 2500
Data em que a foto foi tirada: 26/02/2016
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Saí-turquesa

Dacnis hartlaubi
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Passeriformes
Família Thraupidae
Gênero Dacnis
Nome Científico Dacnis hartlaubi(Sclater, 1855)
Nome Inglês Turquoise Dacnis
Estado de Conservação VU  - Vulnerável (IUCN / 2017)

Descrição

A saí-turquesa é uma ave passeriforme da família Thraupidae.

O macho da saí-turquesa tem uma plumagem principalmente azul-turquesa e preta. A coroa é azul-turquesa e a face tem uma ampla máscara preta que se estende até a parte de trás do pescoço e se conecta ao preto do manto, asas e cauda. As terciárias têm bordas azuis. Os escapulários, lados do dorso, uropígio, e coberteiras superiores da cauda são azul-turquesa. Possui uma ampla faixa malar azul-turquesa e a garganta tem uma mancha preta. As partes inferiores, incluindo as coberteiras inferiores da cauda, são azul-turquesa. A fêmea tem uma coloração acastanhada nas partes superiores (mais cinzenta na cabeça). As coberteiras das asas e as penas de voo têm bordas castanho-amareladas. As partes inferiores são acinzentadas, tornando-se bege-amareladas na área central do peito e barriga. Em ambos os sexos, o bico é enegrecido, e é mais grosso e menos pontudo do que o das outras espécies do gênero Dacnis. As pernas e pés são cinza-escuros. A íris geralmente é descrita como amarela brilhante no macho, e amarelo-alaranjada na fêmea, mas em uma análise mais minuciosa sugere que é amarelo-alaranjada em ambos os sexos.

A saí-turquesa tem 11 cm de comprimento.

O macho da saí-turquesa é muito parecido com o macho da saí-de-máscara-preta (Dacnis lineata), mas esse pode ser distinguido pela garganta azul-turquesa (sem a mancha preta) e pela área central do ventre branca ou amarela (totalmente azul-turquesa na saí-turquesa). A fêmea da saí-turquesa é parecida com as fêmeas da saí-de-máscara-preta (Dacnis lineata), saí-viridiana (Dacnis viguieri), saí-amarela (Dacnis flaviventer) e saí-de-barriga-branca (Dacnis albiventris), e pode ser difícil identificar as fêmeas dessas espécies se não estiverem acompanhadas de seus respectivos machos.

Biologia

A dieta da saí-turquesa é composta de frutos, artrópodes e néctar.

A saí-turquesa, possivelmente, é observada com mais frequência sozinha, mas é encontrada também em pequenos grupos coespecíficos e em bandos de forrageamento de espécies mistas, que incluem: alma-de-gato (Piaya cayana), gaturamo-rei (Euphonia cyanocephala), sanhaço-escarlate (Piranga olivacea), pipira-de-dorso-carmesim (Ramphocelus dimidiatus), sanhaço-da-amazônia (Thraupis episcopus), saíra-de-cabeça-azul (Tangara cyanicollis), saí-verde (Chlorophanes spiza), saíra-de-papo-preto (Hemithraupis guira), cambacica (Coereba flaveola), entre outras.

Habitat

A saí-turquesa habita florestas montanas, florestas úmidas com abundância de epífitas, florestas de nuvem, bordas de florestas e florestas secundárias. Pode ser encontrada também em habitats fragmentados e, ocasionalmente, em plantações de café, especialmente quando essas plantações estão em áreas próximas de florestas.

Distribuição

A saí-turquesa é endêmica da Colômbia e tem uma distribuição restrita e disjunta nos Andes colombianos. É encontrada nos departamentos de Valle de Cauca, Huíla, Quindío, Antioquia, Risaralda, Cundinamarca, Boyacá e Santander, entre 300 e 2.200 m de altitude.

Subespécies

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • BirdLife International 2017. Dacnis hartlaubi (amended version of 2016 assessment). The IUCN Red List of Threatened Species 2017: e.T22722969A119456906. Acessado em 13 Dez 2018.
  • McMullen, H., C. H. Richart, and K. J. Burns (2018). Turquoise Dacnis (Dacnis hartlaubi), version 1.0. In Neotropical Birds Online (T. S. Schulenberg, Editor). Cornell Lab of Ornithology, Ithaca, NY, USA. Acessado em 13 Dez 2018.
  • Clements, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L. Wood. 2018. The eBird/Clements checklist of birds of the world: v2018.

Fotos da Espécie

Mais Espécies de Aves

Conheça mais espécies de Aves selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.