Saí-azul

Copyright © Corey Hayes

Local da foto: Costa Rica

 Canon EOS-1D Mark IV (Canon)
Distância Focal: 500mm  •  Abertura: f/8.0  •  Tempo de Exposição: 1/200s  •  ISO: 800
Data em que a foto foi tirada: 12/01/2014
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Saí-azul

Dacnis cayana
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Passeriformes
Família Thraupidae
Gênero Dacnis
Nome Científico Dacnis cayana(Linnaeus, 1766)
Nome Inglês Blue Dacnis
Estado de Conservação LC  - Pouco Preocupante (IUCN / 2016)

Descrição

A saí-azul é uma ave passeriforme da família Thraupidae.

As subespécies de saí-azul diferem principalmente na tonalidade do azul (machos) e na cor da cabeça (fêmeas). O macho da subespécie nominal tem uma plumagem azul-turquesa brilhante e preta. A face tem uma pequena máscara preta, que inclui a região loreal e a área ao redor dos olhos. A coroa, nuca, face e lados do pescoço são azul-turquesa brilhantes. O manto, dorso e cauda são pretos. As asas são pretas com bordas azuis. Nas partes inferiores, a garganta tem uma mancha preta estreita. O peito, ventre, flancos e coberteiras inferiores da cauda são azul-turquesa. A fêmea tem uma plumagem diferente. A cabeça é azulada ou violeta-azulada. As partes superiores são verdes brilhantes, as asas e a cauda são pretas com extensas bordas verdes, e o ombro tem um pouco de azul. A garganta é acinzentada e o restante das partes inferiores são verdes. Em ambos os sexos, a íris é vermelha. O bico é fino, pontudo e preto-arroxeado. As pernas e pés são rosados.

A saí-azul tem entre 11 e 12,5 cm de comprimento e pesa entre 10 e 15,5 g.

O macho da saí-azul é muito semelhante ao macho da saí-de-pernas-pretas (Dacnis nigripes), mas esse tem pernas pretas ou escuras (não rosadas), a mancha preta da garganta é ligeiramente menor, e o preto do dorso é menos extenso, restrito ao manto. As fêmeas dessas duas espécies são bem diferentes.

Biologia

A dieta da saí-azul é composta de insetos, frutos, sementes e néctar, e forrageia ativamente.

Geralmente é vista sozinha, em pares ou em pequenos grupos e, com frequência, se junta a bandos mistos com espécies dos gêneros Cyanerpes e Tangara, e com a saí-verde (Chlorophanes spiza). Também pode fazer parte de agregações em árvores frutíferas com a saí-azul-de-pernas-vermelhas (Cyanerpes cyaneus), saí-azul-brilhante (Cyanerpes lucidus) e outras aves.

O período de reprodução da saí-azul ocorre de maio a outubro na Costa Rica, na primavera e verão no Brasil, e em março, junho e julho em Trindade. O ninho tem formato de taça funda, é composto de fibras finas, e é construído pela fêmea, enquanto o macho é responsável pela proteção. A ninhada é composta de 2 a 3 ovos esbranquiçados ou branco-esverdeados, com manchas cinzentas, e são incubados pela fêmea. Durante o período de incubação o macho, às vezes, alimenta a fêmea. Ambos os pais alimentam os filhotes, que deixam o ninho 13 dias após o nascimento.

Habitat

A saí-azul habita florestas tropicais de planícies, florestas tropicais inundadas, florestas de areia branca, florestas secundárias, bordas de florestas, clareiras com árvores, plantações sombreadas, parques e jardins com grandes árvores, florestas de galeria e florestas de savana.

Distribuição

A saí-azul é encontrada em Honduras, Nicarágua, Costa Rica, Panamá, Colômbia, Venezuela, ilha de Trindade, Guiana, Suriname, Guiana Francesa, Equador, Peru, Brasil, Bolívia, Paraguai e Argentina.

Subespécies

  • Dacnis cayana ultramarina - ocorre na encosta caribenha do nordeste de Honduras, ao sul até o Panamá e noroeste da Colômbia.
  • Dacnis cayana callaina - ocorre no oeste da Costa Rica e no oeste do Panamá (Chiriquí).
  • Dacnis cayana napaea - ocorre na região tropical do norte da Colômbia.
  • Dacnis cayana baudoana - ocorre na região tropical do sudoeste da Colômbia (montanhas de Baudó), ao sul até o oeste do Equador.
  • Dacnis cayana caerebicolor - ocorre na Colômbia central (Valle del Cauca e Valle del Magdalena).
  • Dacnis cayana cayana - ocorre do leste da Colômbia até a Venezuela, ilha de Trindade, Guiana, Suriname, Guiana Francesa, e no norte e centro do Brasil.
  • Dacnis cayana glaucogularis - ocorre do sul da Colômbia até o leste do Equador, leste do Peru e norte e leste da Bolívia.
  • Dacnis cayana paraguayensis - ocorre no leste e sul do Brasil, leste do Paraguai e nordeste da Argentina.

Continentes de Ocorrência

América do Norte, América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • BirdLife International 2016. Dacnis cayana. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T22722991A94797202. Acessado em 23 Dez 2018.
  • Hilty, S. (2018). Blue Dacnis (Dacnis cayana). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona. Acessado em 23 Dez 2018.
  • Blue Dacnis (Dacnis cayana), In Neotropical Birds Online (T. S. Schulenberg, Editor). Cornell Lab of Ornithology, Ithaca, NY, USA. Acessado em 23 Dez 2018.
  • Clements, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L. Wood. 2018. The eBird/Clements checklist of birds of the world: v2018.

Fotos da Espécie

Mais Espécies de Aves

Conheça mais espécies de Aves selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.