Saí-amarela

Fotografia por João Quental, CC BY

Local da foto: Madre de Dios, Peru

 NIKON D4 (NIKON CORPORATION)
Distância Focal: 600mm  •  Abertura: f/5.6  •  Tempo de Exposição: 1/320s  •  ISO: 640
Data em que a foto foi tirada: 26/06/2014
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Saí-amarela

Dacnis flaviventer
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Passeriformes
Família Thraupidae
Gênero Dacnis
Nome Científico Dacnis flaviventerd'Orbigny & Lafresnaye, 1837
Nome Inglês Yellow-bellied Dacnis
Estado de Conservação LC  - Pouco Preocupante (IUCN / 2018)

Descrição

A saí-amarela, conhecida também como saí-de-barriga-amarela (tradução do nome inglês), é uma ave passeriforme da família Thraupidae.

A plumagem do macho da saí-amarela é principalmente amarela e preta. A face tem uma máscara preta que se estende da base da testa e região loreal até a nuca e o manto. A coroa tem uma coloração verde-musgo escuro a verde fosco. O manto, asas e a cauda são pretos. Os escapulários, lados do dorso, uropígio e coberteiras superiores da cauda são amarelos. A faixa malar amarela se estende até os lados do pescoço e a garganta é preta. As partes inferiores até as coberteiras inferiores da cauda são amarelas. Ambos os sexos têm estrias difusas mais fortes no peito, tornando-se mais fracas na barriga. Essas estrias são mais enegrecidas no macho e mais oliva na fêmea. A fêmea tem uma plumagem maçante, sendo marrom-oliva dorsalmente. As asas e a cauda são marrom-escuras, e as partes inferiores são amarelo-acastanhadas desbotadas, tornando-se mais amareladas na parte inferior do ventre e nas coberteiras inferiores da cauda. Em ambos os sexos, a íris é vermelha. O bico é preto, delgado, ligeiramente curvado e pontudo. As pernas e pés são cinza, cinza-azulados, cinza-escuros, ou cor de chumbo.

A saí-amarela tem entre 11 e 13 cm de comprimento e pesa entre 12 e 14 g.

O macho da saí-amarela tem uma plumagem amarela e preta muito distinta, e é facilmente distinguido dos machos das outras espécies do gênero Dacnis. A fêmea é parecida com as fêmeas da saí-de-máscara-preta (Dacnis lineata), saí-turquesa (Dacnis hartlaubi), saí-viridiana (Dacnis viguieri) e saí-de-barriga-branca (Dacnis albiventris), e pode ser difícil identificar as fêmeas dessas espécies se não estiverem acompanhadas de seus respectivos machos.

Biologia

A dieta da saí-amarela é composta de frutos, insetos e néctar. Forrageia ativamente do nível médio até o dossel superior de florestas.

A saí-amarela regularmente é encontrada sozinha, em pares ou, ocasionalmente, em pequenos grupos de até 10 a 15 indivíduos. É vista com mais frequência em pares viajando de forma independente, mas também pode se associar a agregações de alimentação em árvores frutíferas ou a bandos de forrageamento de espécies mistas, incluindo a saí-de-máscara-preta (Dacnis lineata), saí-azul (Dacnis cayana), saí-de-barriga-branca (Dacnis albiventris), tiê-galo (Tachyphonus cristatus), saíra-paraíso (Tangara chilensis), saíra-ouro (Tangara schrankii) e saíra-turquesa (Tangara mexicana).

A época de reprodução da saí-amarela, aparentemente, ocorre na estação seca, possivelmente incluindo o final da estação chuvosa. A ninhada é composta de 2 a 3 ovos. O período de incubação é de 13 dias.

Habitat

A saí-amarela habita florestas tropicais inundadas, bordas de florestas tropicais de planície, florestas úmidas de terra firme, florestas de savana, florestas submontanas densas, e florestas abertas aluviais. Pode ser encontrada também em uma variedade de habitats perturbados, como campos cultivados revertidos para florestas, fragmentos de florestas, florestas secundárias, clareiras próximas de florestas, e áreas cultivadas e ajardinadas.

Distribuição

A saí-amarela é encontrada no sudeste da Colômbia, ao sul até o leste do Equador, leste do Peru e noroeste da Bolívia, a leste até o sul da Venezuela e oeste do Brasil (a leste até aproximadamente o rio Negro, sul do Amapá, sudeste do Pará e metade norte de Mato Grosso).

Subespécies

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • BirdLife International 2018. Dacnis flaviventer. The IUCN Red List of Threatened Species 2018: e.T22722982A132019756. Acessado em 16 Dez 2018.
  • Hilty, S. (2018). Yellow-bellied Dacnis (Dacnis flaviventer). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona. Acessado em 16 Dez 2018.
  • Yellow-bellied Dacnis (Dacnis flaviventer), In Neotropical Birds Online (T. S. Schulenberg, Editor). Cornell Lab of Ornithology, Ithaca, NY, USA. Acessado em 16 Dez 2018.
  • Saí-amarela (Dacnis flaviventer). WikiAves, a Enciclopédia das Aves do Brasil.
  • Clements, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L. Wood. 2018. The eBird/Clements checklist of birds of the world: v2018.

Fotos da Espécie

Mais Espécies de Aves

Conheça mais espécies de Aves selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.