Picapauzinho-carijó

Fotografia por Brendan Ryan, CC BY-NC-SA

Local da foto: Paraná, Brasil

 Canon EOS 7D Mark II (Canon)
Distância Focal: 560mm  •  Abertura: f/8.0  •  Tempo de Exposição: 1/800s  •  ISO: 2500
Data em que a foto foi tirada: 27/11/2016
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Picapauzinho-carijó

Picumnus nebulosus
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Aves
Ordem Piciformes
Família Picidae
Gênero Picumnus
Nome Científico Picumnus nebulosusSundevall, 1866
Nome Inglês Mottled Piculet
Estado de Conservação NT  - Quase Ameaçada (IUCN / 2016)

Descrição

O picapauzinho-carijó, conhecido também como pica-pau-anão-carijó, é uma ave piciforme da família Picidae.

O macho do picapauzinho-carijó tem preto da testa até a nuca. As penas da parte superior da testa e coroa têm pontas largas vermelhas, formando uma mancha vermelha, e as penas dos lados da coroa e nuca têm pontas brancas (manchadas). A região loreal e a linha acima da base do bico (e muitas vezes se estendendo ao redor da borda dianteira superior do olho) são brancas, ocasionalmente com algumas pontas pretas. As bochechas e a cobertura inferior dos ouvidos são de cor marrom-oliva escura, delimitada acima por uma área grande e irregular de branco. Os lados do pescoço são marrom-oliva. O queixo e a garganta são brancos barrados de preto. A parte de trás do pescoço e as partes superiores do corpo são marrom-oliva, tingidas de castanho amarelado ou cor de ferrugem no dorso e escapulários. A asa superior e suas coberturas são marrons/pretas a marrom-escuras com bordas mais pálidas. A parte superior da cauda é preta e o par de penas central tem faixa branca ao longo das teias internas. O peito é marrom enferrujado, tornando-se mais pálido na barriga, e geralmente com um tom castanho amarelado brilhante nos flancos. As manchas no peito são um pouco variáveis, geralmente indistintas ou ausentes, mas com amplas estrias escuras, pontos ou até barras com formato de U da parte inferior do peito até os flancos.

A fêmea tem plumagem semelhante à do macho, mas não tem a mancha frontal vermelha. Os juvenis têm plumagem mais maçante do que a dos adultos e também têm a coroa marrom opaca riscada de tons pálidos.

Macho e fêmea têm bico preto, com base cinza até a mandíbula inferior, e é curto, reto e ligeiramente talhado na ponta. As pernas e pés são cinza. Os olhos são marrons e a pele orbital é acinzentada.

O picapauzinho-carijó tem entre 10 e 11 cm de comprimento e pesa entre 11 e 12 g.

Biologia

O picapauzinho-carijó se alimenta de insetos, larvas de insetos e ovos de insetos. Caça sozinho e se junta a bandos de espécies mistas.

Embora o comportamento de nidificação do picapauzinho-carijó seja semelhante ao relatado para outros membros do gênero, as informações sobre a biologia reprodutiva das espécies do gênero Picumnus ainda são limitadas.

O período de nidificação do picapauzinho-carijó vai de outubro a dezembro. Baseado em um estudo sobre a reprodução da espécie no sul do Brasil, o ninho é uma cavidade em um tronco de árvore morta, forrado com fragmentos de madeira. A fêmea coloca 4 ovos. Os ovos têm, em média, 16,3 mm de comprimento, 13 mm de largura e 1,38 g de peso. Os pais incubam os ovos durante 17 dias. Após o nascimento dos filhotes, macho e fêmea compartilham os cuidados parentais. Entre 22 e 25 dias após o nascimento, os filhotes já têm plumagem semelhante à da fêmea adulta.

Habitat

O picapauzinho-carijó habita florestas, principalmente florestas sempre-verdes de planícies e florestas mistas de Araucária com vegetação rasteira densa (muitas vezes em áreas de bambu, apesar de não depender diretamente desse microhabitat), bordas de florestas, florestas de galeria, áreas de savanas e semiáridas com arbustos. Ocorre até 1.100 m de altitude.

Distribuição

O picapauzinho-carijó é encontrado no sul do Brasil (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), nordeste da Argentina (Misiones e Corrientes) e norte do Uruguai. Provavelmente ocorre também no leste do Paraguai.

Subespécies

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • BirdLife International. 2016. Picumnus nebulosus. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T22680765A92876921. Acessado em 17 Jul 2018.
  • D. Lepage, J. Warnier, 2014. The Peters' Check-list of the Birds of the World (1931-1987) Database. Accessed on 17 Jul 2018 from Avibase, the World Database.
  • Winkler, H., Christie, D.A. & Bonan, A. (2018). Mottled Piculet (Picumnus nebulosus). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona.
  • Woodpeckers: An Identification Guide to the Woodpeckers of the World. Hans Winkler, David A. Christie and David Nurney. Publisher: Houghton Mifflin.
  • Pichorim, Mauro. (2006). Reproduction of the Mottled Piculet in southern Brazil. Journal of Field Ornithology. 77. 244 - 249. 10.1111/j.1557-9263.2006.00049.x.
  • Clements, J. F., T. S. Schulenberg, M. J. Iliff, D. Roberson, T. A. Fredericks, B. L. Sullivan, and C. L. Wood. 2018. The eBird/Clements checklist of birds of the world: v2018.

Fotos da Espécie

Mais Espécies de Aves

Conheça mais espécies de Aves selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.