Rã-venenosa-vítima

Fotografia por Juan Bonnett, CC BY-NC-ND

Local da foto: Colômbia

 NIKON D750 (NIKON CORPORATION)
Distância Focal: 105mm  •  Abertura: f/32.0  •  Tempo de Exposição: 1/200s  •  ISO: 640
Data em que a foto foi tirada: 02/09/2017
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Rã-venenosa-vítima

Andinobates victimatus
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Amphibia
Ordem Anura
Família Dendrobatidae
Gênero Andinobates
Nome Científico Andinobates victimatusMárquez, Mejía-Vargas, Palacios-Rodríguez, Ramírez-Castañeda, and Amézquita, 2017
Nome Inglês Victim Poison Frog
Estado de Conservação NE  - Não Avaliada pela IUCN

Descrição

A rã-venenosa-vítima é uma espécie de anfíbio da família Dendrobatidae descrita em 2017. O nome da espécie tem um valor simbólico (victimatus, do Latim, significa vitimizado), pois é uma homenagem às vítimas dos históricos conflitos armados da região de Urabá (onde a espécie ocorre e onde foi descoberta), Colômbia, que deixaram um rastro incontável de vítimas inocentes.

A rã-venenosa-vítima tem uma coloração dorsal vermelha escarlate homogênea que se estende por todos os membros. Os flancos são principalmente vermelhão uniforme, com alguns pequenos pontos escuros em direção à área ventral. O ventre também é vermelhão, com manchas menos saturadas em transição de vermelhão para preto em direção ao peito e a garganta. As pontas dos dedos das mãos e dos pés têm uma coloração que varia da cinza metálica a cinza metálica clara. A pele é ligeiramente granular, com granularidade aumentando em direção ao uróstilo e aos membros posteriores. A pupila e a íris são pretas e quase indistinguíveis. As narinas são rodeadas por margens pretas finas, e a borda anterior do anel do tímpano também é preta.

O macho adulto da rã-venenosa-vítima tem entre 1,36 e 1,49 cm de comprimento rostro-cloacal. A fêmea adulta tem entre 1,32 e 1,45 cm de comprimento rostro-cloacal.

Biologia

A rã-venenosa-vítima é uma espécie diurna e terrestre.

O macho vocaliza a partir da serrapilheira, de galhos baixos (menos de 1 m de altura) ou de troncos caídos, para defender território e atrair fêmeas. Também pode vocalizar em bromélias a até 3 m acima do solo. A vocalização ocorre principalmente entre 7h30 e 9h30, com vocalizações ocasionais durante o resto do dia.

Presumivelmente, a fêmea da rã-venenosa-vítima coloca ninhadas de ovos dentro do território do macho, e os girinos são transportados pelo macho, um de cada vez, para reservatórios de água dentro de bromélias a até 4 m de acima do solo. Todos os girinos observados estavam em reservatórios de água de bromélias da espécie Guzmania musaica, o que sugere que há uma preferência por esta espécie de bromélia.

Os filhotes da rã-venenosa-vítima atingem a coloração adulta aproximadamente três meses e meio após deixarem a água.

Habitat

A rã-venenosa-vítima habita florestas tropicais e é encontrada entre 200 e 600 m de altitude.

Distribuição

A rã-venenosa-vítima é encontrada na região de Urabá, noroeste da Colômbia.

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Frost, Darrel R. 2018. Amphibian Species of the World: an Online Reference. Version 6.0 (07 Jun 2018). American Museum of Natural History, New York, USA.
  • Márquez, Roberto & Mejía-Vargas, Daniel & Palacios Rodríguez, Pablo & Ramírez-Castañeda, Valeria & Amézquita, Adolfo. (2017). A new species of Andinobates (Anura: Dendrobatidae) from the Urabá region of Colombia. Zootaxa. 4290. 531-546. 10.11646/zootaxa.4290.3.7.

Mais Espécies de Anfíbios

Conheça mais espécies de Anfíbios selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.