Rã-venenosa-do-marañón

Fotografia por Jean-Francois Brousseau, CC BY-NC

Local da foto: Peru

 Canon EOS DIGITAL REBEL XT (Canon)
Distância Focal: 100mm  •  Abertura: f/5.6  •  Tempo de Exposição: 1/320s  •  ISO: 400
Data em que a foto foi tirada: 02/02/2010
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Rã-venenosa-do-marañón

Excidobates mysteriosus
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Amphibia
Ordem Anura
Família Dendrobatidae
Gênero Excidobates
Nome Científico Excidobates mysteriosus(Myers, 1982)
Nome Inglês Marañón Poison Frog
Estado de Conservação EN  - Em Perigo (IUCN / 2018)

Descrição

A rã-venenosa-do-marañón é uma espécie de rã venenosa da família Dendrobatidae.

Morfologicamente, a rã-venenosa-do-marañón é uma das espécies mais distintas de rãs venenosas. Ela tem uma coloração marrom chocolate, marrom avermelhada ou quase preta, com grandes manchas brancas espalhadas por todo o corpo, incluindo pernas, mãos e ventre. Embora essas manchas sejam altamente variáveis, os adultos têm uma mancha única sob o queixo e uma mancha oval na parte inferior das coxas. A pele dorsal da rã-venenosa-do-marañón é relativamente granular. O primeiro dedo é ligeiramente mais curto do que o segundo, embora bem desenvolvido. Os girinos são pretos e alongados.

A rã-venenosa-do-marañón adulta tem entre 27 e 29 mm de comprimento.

Biologia

A rã-venenosa-do-marañón está fortemente associada com as bromélias que retêm água, especialmente a bromélia da espécie Aechmea nudicaulis. A profundidade dos funis que são formados nessas plantas e a disposição peculiar de suas grandes folhas, que atuam como guarda-sol, fazem com que a água que acumula no fundo mantenha uma temperatura relativamente constante. Ela tira proveito desses recursos para manter sua pele úmida e combater as fortes mudanças de temperatura.

Os adultos e juvenis raramente são encontrados fora de bromélias, exceto durante os períodos úmidos, onde eles parecem se locomover no solo para forragear pequenos insetos. Os machos geralmente vocalizam de locais expostos em bromélias. Essa espécie pode ser altamente abundante em áreas onde as bromélias são comuns.

A rã-venenosa-do-marañón também utiliza as bromélias para a reprodução. A fêmea coloca entre 4 e 13 ovos em brácteas de bromélias, depois o macho transporta e deposita os girinos em poças formadas nas bromélias. A maturidade sexual dessa espécie é atingida entre 10 e 12 meses de idade.

Habitat

A rã-venenosa-do-marañón vive em áreas arborizadas povoadas e relativamente secas, com abundância de arbustos e rochas, e uma ampla variação na temperatura de 13 a 32°C.

Distribuição

A rã-venenosa-do-marañón é endêmica do Peru, encontrada somente nos arredores da cidade de Santa Rosa (Departamento de Cajamarca), no sopé da Cordilheira do Condor, noroeste do Peru, ocorrendo entre 900 e 1.100 m de altitude.

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • IUCN SSC Amphibian Specialist Group 2018. Excidobates mysteriosus. The IUCN Red List of Threatened Species 2018: e.T55193A89201026. Acessado em 13 Mar 2019.
  • Wikipedia contributors. "Marañón Poison Frog." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 07 Nov 2016. Web. 06 Abr 2017.
  • AmphibiaWeb 2010. Excidobates mysteriosus: Marañón Poison Frog. University of California, Berkeley, CA, USA.
  • WeSapiens.org

Fotos da Espécie

Mais Espécies de Anfíbios

Conheça mais espécies de Anfíbios selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.