Rã-venenosa-de-pernas-negras

Fotografia por B Smith, CC BY-NC-SA

 KODAK DX4330 DIGITAL CAMERA (EASTMAN KODAK COMPANY)
Distância Focal: 8mm  •  Abertura: f/2.8  •  Tempo de Exposição: 1/20s  •  ISO: 200
Data em que a foto foi tirada: 02/03/2004
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Rã-venenosa-de-pernas-negras

Phyllobates bicolor
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Amphibia
Ordem Anura
Família Dendrobatidae
Gênero Phyllobates
Nome Científico Phyllobates bicolorDuméril & Bibron, 1841
Nome Inglês Black-legged Poison Frog, Black-legged Dart Frog, Bicolored Dart Frog
Estado de Conservação EN  - Em Perigo (IUCN / 2017)

Descrição

A rã-venenosa-de-pernas-negras é uma espécie de anfíbio da família Dendrobatidae e é a segunda espécie mais tóxica da família.

A cor da rã-venenosa-de-pernas-negras varia da alaranjada a amarela pura, muitas vezes com uma tonalidade preta ou azul nas pernas. Possui discos adesivos na ponta dos dedos que permitem ao animal escalar arbustos e até troncos de árvores cobertos de musgo.

A rã-venenosa-de-pernas-negras é uma das maiores espécies de rãs venenosas da família Dendrobatidae. Os machos podem atingir um comprimento de 4,5 a 5 cm (do focinho à cloaca), enquanto as fêmeas, ligeiramente maiores, alcançam entre 5 a 5,5 cm de comprimento (do focinho à cloaca). A espécie é menor e mais delgada do que a rã-venenosa-dourada (Phyllobates terribilis), e pode se parecer com uma rã-venenosa-dourada juvenil ou subadulta.

Biologia

A rã-venenosa-de-pernas-negras é uma espécie ativa durante o dia. Ela se locomove com pequenos saltos. A dieta dos adultos é composta de formigas, cupins, pequenos besouros e outros pequenos artrópodes. As presas são capturadas usando sua língua longa, retrátil e pegajosa. Os jovens girinos podem comer uns aos outros, se colocados juntos em uma área pequena, mas geralmente se alimentam de larvas de insetos e ovos não fertilizados deixados por uma visita da fêmea.

A maioria das populações da rã-venenosa-de-pernas-negras reproduzem continuamente durante toda a estação das chuvas. Para atrair uma fêmea, o macho senta em uma folha e faz chamados com trinados e zumbidos. Se outro macho responde, o macho que estava chamando tenta expulsá-lo da área usando força agressiva e até mesmo lutas. Depois que a fêmea é atraída, o casal busca um local para colocar os ovos. Os ovos geralmente são colocados em um local úmido, como na serrapilheira, sob pedras ou até mesmo em certas plantas da floresta tropical.

A rã-venenosa-de-pernas-negras tem fertilização externa, sendo que o macho fertiliza os ovos depois que a fêmea os deposita. A fêmea coloca de 4 a 30 ovos em uma massa gelatinosa, que os mantém úmidos. Em seguida, eles são vigiados por um dos pais até que estejam prontos para eclodir. Nesse ponto do seu desenvolvimento a água é necessária. O pai vai agachar na massa gelatinosa e vai permitir que os girinos subam até as suas costas. Os girinos podem permanecer em suas costas por alguns minutos ou por várias horas. Os girinos são firmemente fixados nas costas do pai por uma secreção de muco, que só é quebrada pela imersão na água. O pai leva os girinos para um corpo de água adequado onde eles serão capazes de continuar o seu desenvolvimento. Esse corpo de água pode ser uma poça em um buraco de árvore ou em uma planta, como uma bromélia. Leva cerca de 3 semanas para que os girinos completem a metamorfose.

Habitat

A rã-venenosa-de-pernas-negras habita florestas úmidas de várzea e florestas de altitude, geralmente ocorrendo perto de riachos e em altitudes entre 500 e 1.500 m.

Distribuição

A rã-venenosa-de-pernas-negras ocorre nas encostas do oeste da Cordilheira Ocidental na Colômbia, nos Departamentos de Risaralda, Chocó, Valle del Cauca, e Cauca.

Veneno

A maioria das espécies de rãs venenosas têm coloração aposemática muito brilhante, que é usada como um mecanismo de defesa para alertar potenciais predadores sobre a sua toxicidade. Essas toxinas da pele são produzidas por glândulas de veneno especiais que estão espalhadas por todo o corpo do animal.

Apesar do veneno da rã-venenosa-de-pernas-negras ser mais fraco do que o da rã-venenosa-dourada (Phyllobates terribilis), essa espécie ainda é um animal altamente tóxico. Apenas 150 microgramas do seu veneno é suficiente para matar uma pessoa adulta. Os índios geralmente aquecem essa espécie no fogo para fazê-la "suar" o veneno líquido para usá-lo em dardos de caça. O veneno provoca a morte por parada respiratória e paralisia muscular. Pesquisas estão sendo feitas para determinar usos medicinais para essa batracotoxina. Assim como acontece com todas as rãs-venenosas, espécimes criados em cativeiro não são tóxicos - os animais necessitam de substâncias químicas encontradas apenas em suas fontes de alimento selvagem, principalmente insetos. Em cativeiro, essas substâncias químicas não estão disponíveis em suas fontes de alimento.

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Wikipedia contributors. "Phyllobates bicolor." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 8 Nov 2016. Web. 31 Mar 2017.
  • Olson, E. 2001. "Phyllobates bicolor" (On-line), Animal Diversity Web.
  • Wilmar Bolívar, Stefan Lötters. 2004. Phyllobates bicolor. The IUCN Red List of Threatened Species 2004: e.T55262A11282320.

Mais Espécies de Anfíbios

Conheça mais espécies de Anfíbios selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.