Rã-venenosa-de-cabeça-amarela

Fotografia por Josh Vandermeulen, CC BY-NC

Local da foto: Guiana

  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Rã-venenosa-de-cabeça-amarela

Dendrobates leucomelas
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Amphibia
Ordem Anura
Família Dendrobatidae
Gênero Dendrobates
Nome Científico Dendrobates leucomelasSteindachner, 1864
Nome Inglês Yellow-headed Poison Frog, Yellow-headed Poison Dart Frog, Yellow-banded Poison Frog, Bumblebee Poison Frog
Estado de Conservação LC  - Pouco Preocupante (IUCN / 2004)

Descrição

A rã-venenosa-de-cabeça-amarela é uma espécie de anfíbio do gênero Dendrobates e pertence à família Dendrobatidae.

Como a maioria das rãs venenosas, a rã-venenosa-de-cabeça-amarela desenvolveu uma coloração aposemática que serve de alerta para potenciais predadores de que é uma espécie tóxica. Predominantemente, essa espécie tem uma coloração amarela brilhante com várias faixas largas e/ou manchas pretas que se estendem por todo o corpo. Algumas morfias são de cor laranja, e existem variações dentro da espécie que ditam a extensão dessas marcações que vão de manchas finas a faixas grossas contínuas. A rã-venenosa-de-cabeça-amarela tem almofadas adesivas glandulares em seus dedos que ajudam na escalada e posicionamento e, em comum com outras espécies em sua ordem, tem uma língua pegajosa que se estende para capturar presas.

A rã-venenosa-de-cabeça-amarela é uma das maiores espécies do gênero Dendrobates, com um comprimento (do focinho até a cloaca) entre 3 e 5 cm. No entanto, o tamanho médio dos adultos raramente excede 4 cm. Seu peso médio é em torno de 3 g. As fêmeas tendem a ser ligeiramente maiores do que os machos, mas por outro lado, pouco da sua aparência pode ser usado para determinar o sexo dos espécimes.

Biologia

A rã-venenosa-de-cabeça-amarela vive principalmente no solo, mas também pode escalar árvores. É uma espécie diurna por natureza, e é conhecida por ser ferozmente territorial. Vive em pequenos grupos na natureza e esses grupos atacam grupos vizinhos com uma surpreendente ferocidade para um animal do seu tamanho.

Em grande parte insetívora, a dieta da rã-venenosa-de-cabeça-amarela consiste de formigas, cupins, minúsculos besouros, grilos e outros pequenos insetos e aranhas. Na natureza, essa espécie passa a maior parte do seu tempo forrageando, provavelmente porque suas presas são muito pequenas.

A reprodução da rã-venenosa-de-cabeça-amarela ocorre durante uma época limitada a cada ano, de fevereiro até março. A fêmea deposita várias ninhadas de 2 a 12 ovos, e pode colocar até 1.000 ovos durante a época de reprodução. Os ovos são fertilizados externamente e depois são cuidados pelo macho. Os ovos eclodem cerca de 10 a 14 dias após a fertilização. A metamorfose dos girinos ocorre em 70 a 90 dias de idade. As jovens rãs estão sexualmente maduras aos dois anos de idade.

O grau e padrão de cuidado parental varia entre as espécies de rãs venenosas. Na rã-venenosa-de-cabeça-amarela, o macho é o responsável por todo o cuidado. O macho cuida dos ovos e dos girinos eclodidos e os transfere para cavidades cheias de água no dossel da floresta. A fêmea fornece os ovos com nutrientes para sustentar os girinos antes da eclosão, mas o macho continua a molhar e proteger os jovens até eles se tornarem independentes.

A expectativa de vida da rã-venenosa-de-cabeça-amarela em cativeiro é de 10 a 15 anos e, na natureza, é de 5 a 7 anos.

Habitat

A rã-venenosa-de-cabeça-amarela prefere habitats úmidos ou molhados e pode ser encontrada no solo das florestas em pedras úmidas, troncos molhados e raízes de árvores. Os girinos podem ser encontrados em plantas como bromélias. Essa espécie pode ser encontrada em regiões de planícies com temperaturas médias de 26 a 30°C ou acima, em altitudes entre 50 e 800 m.

Distribuição

A rã-venenosa-de-cabeça-amarela ocorre na Venezuela, Guiana, extremo norte do Brasil e no leste da Colômbia.

Veneno

Como todos os dendrobatídeos, a rã-venenosa-de-cabeça-amarela secreta toxinas de sua pele, das quais ela obtém ao se alimentar de algumas espécies de artrópodes. Não se sabe exatamente quais artrópodes "emprestam" sua toxicidade para quais gêneros de dendrobatídeos, mas acredita-se que um desses artrópodes foi identificado como uma possível fonte da toxina para a rã-venenosa-dourada (Phyllobates terribilis), e é uma variante local de um besouro da família Melyridae.

As toxinas dos dendrobatídeos variam de espécie para espécie, mas algumas são neurotoxinas extremamente potentes. As toxinas alcaloides, secretadas de sua pele, interferem nos impulsos nervosos, o que pode levar à insuficiência cardíaca ou fibrilação. Espécimes em cativeiro perdem a sua toxicidade, pois a sua dieta em cativeiro não tem componentes tóxicos.

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Wikipedia contributors. "Yellow-Banded Poison Frog." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 25 Fev 2017. Web. 5 Abr 2017.
  • Brennan, L. 2005. "Dendrobates leucomelas" (On-line), Animal Diversity Web.
  • Enrique La Marca, Claudia Azevedo-Ramos. 2004. Dendrobates leucomelas. The IUCN Red List of Threatened Species 2004: e.T55191A11255828.

Fotos da Espécie

Mais Espécies de Anfíbios

Conheça mais espécies de Anfíbios selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.