Rã-venenosa-da-castanha-do-brasil

Copyright © Christopher Borges, Sirius Photo Ambiental

Local da foto: Paranaíta, Mato Grosso - divisa com estado do Pará, Brasil

 DSLR-A390 (SONY )
Distância Focal: 55mm  •  Abertura: f/8.0  •  Tempo de Exposição: 1/80s  •  ISO: 200
Data em que a foto foi tirada: 28/11/2011
  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Rã-venenosa-da-castanha-do-brasil

Adelphobates castaneoticus
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Amphibia
Ordem Anura
Família Dendrobatidae
Gênero Adelphobates
Nome Científico Adelphobates castaneoticus(Caldwell & Myers, 1990)
Nome Inglês Brazil-nut Poison Frog
Estado de Conservação LC  - Pouco Preocupante (IUCN / 2004)

Descrição

A rã-venenosa-da-castanha-do-brasil é uma espécie de anfíbio da família Dendrobatidae. Seu nome comum vem da tendência dessa rã de depositar seus girinos nas cápsulas dos frutos da castanha-do-brasil (Bertholletia excelsa), conhecida também como castanha-do-pará, comum em sua área de ocorrência.

A cor do corpo da rã-venenosa-da-castanha-do-brasil é preta brilhante com pontos brancos a amarelos ou manchas na superfície dorsal, que podem aparecer como linhas parciais em alguns indivíduos. A área de inserção dos membros anteriores ao corpo e os membros posteriores acima e abaixo da articulação do joelho são marcados com manchas laranja ou amarelas brilhantes. Essas manchas podem servir para distrair ou confundir os predadores quando o animal está em movimento. Quando em repouso, as manchas nos membros posteriores parecem ser uma única mancha grande. Uma mancha adicional aparece no lado inferior da panturrilha, mas só é visível a partir de uma visão ventral.

Uma das menores espécies de rã venenosa, a rã-venenosa-da-castanha-do-brasil tem entre 18 e 23 mm de comprimento rostro-cloacal. As fêmeas geralmente são maiores do que os machos.

Biologia

A rã-venenosa-da-castanha-do-brasil é uma espécie ativa apenas durante o dia. Ela se alimenta principalmente na serrapilheira ao nível do solo e raramente é encontrada muito acima do solo. É insetívora e se alimenta principalmente de formigas, cupins e outros pequenos insetos.

Embora já relatadas ninhadas contendo até 12 ovos, a fêmea da rã-venenosa-da-castanha-do-brasil geralmente coloca de 2 a 6 ovos. Os ovos são colocados no solo e são protegidos pelo macho. Quando os ovos eclodem, os girinos são depositados individualmente pelo macho em pequenas poças de água temporárias em troncos, buracos de árvores, cápsulas de castanha-do-brasil ou outros detritos. Os girinos são grandes e agressivos, e devoram quaisquer larvas de insetos, girinos, ou matéria vegetal de tamanho apropriado. As jovens rãs crescem rapidamente e podem atingir a maturidade com apenas 5 a 7 meses de idade.

Como já mencionado no início do texto, a rã-venenosa-da-castanha-do-brasil tem a tendência de depositar seus girinos nas cápsulas dos frutos da castanha-do-brasil. Esse comportamento faz parte de um sistema complexo e interessante envolvendo muitas espécies. O fruto da castanha-do-brasil cai da árvore e a casca externa é aberta por um mamífero, como a cutia. A cutia remove o interior comestível da cápsula do fruto deixando-a oca. A cápsula, depois, se enche de água da chuva e se torna um local de reprodução primário para muitas diferentes criaturas minúsculas, como rãs venenosas, sapos, mosquitos e outros insetos. Cada uma dessas larvas são potenciais predadoras umas das outras, e a sobrevivência depende da sua capacidade de competir, bem como do momento da sua deposição.

Habitat

A rã-venenosa-da-castanha-do-brasil habita florestas tropicais.

Distribuição

A rã-venenosa-da-castanha-do-brasil é uma espécie endêmica do Brasil. Ela ocorre ao sul do rio Amazonas, no estado do Pará, norte do Brasil. Mais especificamente, a espécie ocorre em Cachoeira do Juruá, próximo ao rio Xingu, e em Taperinha a leste da foz do rio Tapajós. A distância entre esses dois locais é de 300 km, sugerindo que a espécie tem uma distribuição geográfica relativamente grande. Provavelmente, a distribuição geográfica dessa espécie é mais ampla do que a conhecida atualmente.

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • AmphibiaWeb 2010. Adelphobates castaneoticus: Brazil-Nut Poison Frog. University of California, Berkeley, CA, USA. Acessado em 30 Mar 2017.
  • Miguel Trefaut Rodrigues, Claudia Azevedo-Ramos. 2004. Adelphobates castaneoticus. The IUCN Red List of Threatened Species 2004: e.T55179A11252315. Acessado em 30 Mar 2017.
  • Amphibia, Anura, Dendrobatidae, Adelphobates castaneoticus (Caldwell and Myers 1990): distribution extension and geographic distribution map. Herpetology Notes, volume 4: 093-094 (2011).
  • Wikipedia contributors. "Brazil-Nut Poison Frog." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 7 Nov 2016. Web. 30 Mar 2017.
  • Miguel Trefaut Rodrigues, Claudia Azevedo-Ramos. 2004. Adelphobates castaneoticus. The IUCN Red List of Threatened Species 2004: e.T55179A11252315. Acessado em 30 Mar 2017.

Mais Espécies de Anfíbios

Conheça mais espécies de Anfíbios selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.