Perereca-kambô

Fotografia por John Sullivan, CC BY-NC

Local da foto: Reserva Florestal de Santa Cruz, Loreto, Peru

  NÃO reproduza o conteúdo deste site sem autorização!

Perereca-kambô

Phyllomedusa bicolor
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Amphibia
Ordem Anura
Família Hylidae
Gênero Phyllomedusa
Nome Científico Phyllomedusa bicolor(Boddaert, 1772)
Nome Inglês Waxy Monkey Tree Frog, Giant Waxy Tree Frog, Giant Leaf Frog
Estado de Conservação LC  - Pouco Preocupante (IUCN / 2010)

Descrição

A perereca-kambô, conhecida também como kambo, kambô e cambô, é um anfíbio da família Hylidae.

A perereca-kambô tem uma coloração verde-escura no dorso, e a cor da região ventral varia do branco ao branco amarelado ou creme. No lábio inferior, peito e pernas dianteiras existem manchas brancas esparsas com bordas escuras, e estas são mais densas nos flancos e pernas traseiras. Os dedos são de cor marrom transparente com grandes discos adesivos verdes. Atrás dos olhos, existe uma glândula proeminente que se estende sobre o tímpano. A íris é cinza-escura.

Os machos da perereca-kambô têm entre 91 e 103 mm de comprimento, e as fêmeas, entre 111 e 119 mm de comprimento.

Biologia

A perereca-kambô é uma espécie arborícola e noturna. Sua dieta é composta de pequenos insetos.

O macho da perereca-kambô geralmente vocaliza do alto de árvores, e desce com a fêmea para construir ninhos de 1 a 3 m acima da água. A reprodução ocorre durante todo o ano em poças perto ou longe de córregos com um pico entre novembro e maio (estação das chuvas). A fêmea deposita cerca de 600 ovos brancos em uma massa gelatinosa em ninhos de folhas penduradas sobre a água. As folhas são unidas ou dobradas com a ajuda do macho. Depois de 8 a 10 dias, os girinos eclodem e caem na água, onde completam seu desenvolvimento até a metamorfose.

O veneno produzido pela perereca-kambô inclui dermorfina e deltorfina, que atuam nos receptores neuronais sensíveis aos opiáceos, podendo levar a uma alteração no nível de consciência. Os sintomas apresentados no envenenamento pelas substâncias desta espécie incluem forte diarréia, vômito e taquicardia. Existe um interesse crescente nos componentes tóxicos presentes na pele desta perereca, que são usados em práticas de caça em várias tribos da Amazônia.

Habitat

A perereca-kambô habita florestas de terra firme, florestas secundárias e clareiras. Ela ocorre em elevações de 0 a 800 m.

Distribuição

A perereca-kambô é encontrada na Bacia Amazônica no Brasil, Colômbia, Guiana Francesa, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela.

Continentes de Ocorrência

América do Sul

Elaboração e Tradução de Texto (Inglês / Espanhol para Português)

  • Terra Selvagem (by LS).

Referências

  • Wikipedia contributors. "Phyllomedusa bicolor." Wikipedia, The Free Encyclopedia. Wikipedia, The Free Encyclopedia, 15 Mar. 2017. Web. 31 Mar. 2017.
  • AmphibiaWeb 2007. Phyllomedusa bicolor: Waxy-Monkey Tree Frog. University of California, Berkeley, CA, USA.
  • Claudia Azevedo-Ramos, Enrique La Marca. 2010. Phyllomedusa bicolor. The IUCN Red List of Threatened Species 2010: e.T55841A11378972.

Fotos da Espécie

Mais Espécies de Anfíbios

Conheça mais espécies de Anfíbios selecionadas pelo Terra Selvagem.

Você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Saiba que dependemos exclusivamente de anúncios para manter o Terra Selvagem no ar.

Para continuar navegando, desabilite seu bloqueador de anúncios ou adicione o endereço www.terraselvagem.com à lista branca de sites do seu bloqueador de anúncios.