Artigos
Serpentes Peçonhentas e Mortais da África
Embora essas serpentes possam representar perigo para os seres humanos, elas são essenciais para seus ecossistemas locais.

Compartilhar

A África é um continente enorme com uma variedade de habitats, de desertos à florestas tropicais. Ela suporta várias espécies e subespécies de serpentes peçonhentas, em diferentes áreas geográficas. É muito difícil obter estatísticas precisas de picadas de serpentes da região, devido à falta de modernas instalações médicas e informações sobre saúde pública. Estima-se entretanto, que muitas pessoas são picadas e morrem como resultado de seu envenenamento, a cada ano.

Como na Austrália e em outras parte do mundo, algumas das mais tóxicas serpentes peçonhentas na África não são necessariamente perigosas para o homem, ou porque são tímidas e evitam o contato, ou vivem em áreas remotas e não são amplamente distribuídas. Um exemplo disso é a boomslang, que tem um veneno muito tóxico, mas normalmente não é agressiva com seres humanos, ou amplamente distribuída em áreas povoadas.

Perigosas, mas importantes para o Ecossistema!

Embora essas serpentes possam representar perigo para os seres humanos, elas são uma parte essencial de seus ecossistemas locais. Elas são responsáveis por controlar a população de roedores, que podem ser muito mais perigosos para o homem, já que são portadores de várias doenças. Essas serpentes devem ser RESPEITADAS e EVITADAS, mas NUNCA devem ser mortas indiscriminadamente! Esses répteis incríveis devem ser protegidos e deixados na natureza para que façam o seu trabalho.

Como são muitas as espécies, selecionei 6 dentre as serpentes mais peçonhentas do continente africano:

Veja a galeria de fotos de serpentes peçonhentas da África.

  • Mamba-negra (Black Mamba), Dendroaspis polylepsis

A mamba-negra é a maior serpente peçonhenta da África, com um comprimento médio de cerca de 2,5 m, podendo chegar aos 4,3 m. É a segunda serpente peçonhenta mais longa do mundo, excedida em comprimento apenas pela cobra-rei. Seu nome é derivado da coloração negra dentro da boca, ao contrário da cor real da sua pele, que varia de verde-amarelado ao cinza metálico. É a serpente mais rápida do mundo, capaz de mover-se a 4,3-5,4 m por segundo (16-20 km/h).

O veneno da mamba-negra é composto principalmente de neurotoxinas potentes. Embora apenas 10 a 15 mg de seu veneno seja mortal para um ser humano adulto, sua picada fornece cerca de 100-120 mg de veneno, em média, mas pode fornecer até 400 mg de veneno em uma única picada. Uma picada de mamba-negra pode, potencialmente, matar um ser humano dentro de 20 minutos ou menos, dependendo da natureza da picada e da área picada, mas a morte geralmente ocorre após 30-60 minutos, em média, às vezes levando até três horas.

Antes do soro antiofídico ser amplamente disponível, uma picada de mamba-negra era 100% fatal. Infelizmente, o soro antiofídico ainda não está disponível nas zonas rurais da área de ocorrência da mamba-negra, e as mortes ainda são frequentes.

Distribuição Geográfica: Nordeste da República Democrática do Congo, Sudão, Etiópia, Eritréia, Somália, Quênia, Uganda, Tanzânia, Moçambique, Suazilândia, Malawi, Zâmbia, Zimbábue, Botswana, Namíbia, KwaZulu-Natal na África do Sul.

  • Víbora-do-gabão (Gaboon Viper), Bitis gabonica

A víbora-do-gabão não é apenas o maior membro do gênero Bitis, mas também a víbora mais pesada do mundo e tem as maiores presas (até 5 cm), e a maior produção de veneno dentre as serpentes peçonhentas. Os adultos têm em média 1,20-1,50 m de comprimento, com um máximo de 2 m.

Picadas de víboras-do-gabão são relativamente raras, devido à sua natureza dócil e o fato de que sua ocorrência é limitada principalmente a áreas de floresta tropical. No entanto, quando ocorre uma picada sempre deve ser considerada uma emergência médica grave. O soro antiofídico deve ser administrado o mais rapidamente possível para salvar a vida da vítima, se não o membro afetado. Possui um veneno hemotóxico. Suas glândulas de veneno são enormes e cada picada produz as maiores quantidades de veneno dentre as serpentes peçonhentas, cerca de 200-1000 mg de veneno.

Distribuição Geográfica: Guiné, Gana, Togo, Nigéria, Camarões, República Democrática do Congo, República Centro-Africana, Sudão, Uganda, Quênia, Tanzânia, Zâmbia, Malawi, Zimbábue, Moçambique KwaZulu-Natal na África do Sul.

  • Boomslang, Dispholidus typus

A boomslang é uma serpente peçonhenta da família Colubridae. É uma serpente tímida e de hábitos arborícolas, e picadas geralmente ocorrem somente quando as pessoas tentam manipular, capturar ou matar o animal.

Muitos membros da família Colubridae são inofensivos aos seres humanos por causa de pequenas glândulas de veneno, veneno fraco, ou presas ineficientes. No entanto, a boomslang é uma notável exceção, pois tem um veneno muito potente, que é inoculado através de grandes presas que estão localizadas na parte posterior da mandíbula. As boomslangs podem abrir suas mandíbulas a um ângulo de 90 graus ao picar. A picada de uma boomslang adulta fornece cerca de 1,6-8 mg de veneno. O veneno da boomslang é hemotóxico; ele desativa o processo de coagulação do sangue e a vítima pode morrer em conseqüência de hemorragia interna e externa. O veneno tem ação lenta e pode levar de 24 a 48 horas para  aparecer os sintomas sérios.

Distribuição Geográfica: África subsaariana.