Jacaré-do-pantanal  Caiman yacare
Foto: Jacaré-do-pantanal

Fotografia por © Bruce Thomson


Compartilhe

Distribuição Geográfica
(clique no mapa)

Foto: Mapa da Distribuição Geográfica

Nome Comum
Jacaré-do-pantanal

Nome Inglês
Yacare caiman

Nome Científico
Caiman yacare

PERFIL DA ESPÉCIE

O jacaré-do-pantanal é uma espécie de jacaré encontrada na região central da América do Sul, incluindo o nordeste da Argentina, leste do Uruguai a Bolívia, centro-oeste do Brasil, e rios do Paraguai.

Como um crocodiliano de  pequeno-médio porte, a maioria dos indivíduos adultos crescem cerca de 2 ou 2,5 m de comprimento, alguns podendo atingir 3 m. Devido ao seu tamanho menor ele se torna uma presa favorita da onça-pintada e da sucuri.

A dieta do jacaré-do-pantanal consiste principalmente de peixes (especialmente piranhas) e aves, sendo que ocasionalmente, os jacarés maiores podem caçar capivaras. Vive em ambientes essencialmente aquáticos, como alagados, rios, lagoas e pântanos.

Os jacarés-do-pantanal são ovíparos. A fêmea põe, em média, entre 20 e 30 ovos. Eles se desenvolvem ao calor do sol e da vegetação que normalmente compõe o ninho (feito à base de folhas e fragmentos de plantas, na mata ou sobre vegetação flutuante). A mãe raramente se afasta do lugar, que normalmente defende com fúria. A reprodução acontece entre os meses de janeiro e março, coincidentemente o período das cheias no Pantanal.

Há bichos que nascem para viver num determinado ambiente. O jacaré-do-pantanal, como o nome bem diz, tem sua morada nas águas. Em terra, quase sempre, é desajeitado e perde o seu famoso poder de reação, fugindo à primeira ameaça que vê pela frente.

Na água, sua incrível força muscular ganha agilidade. É quando subjuga qualquer presa, com o aval de uma mandíbula sem igual, cauda serrilhada e pés com garras poderosas.

A sua importância no controle ecológico de outras espécies também é real: se alimentam de indivíduos mais fracos, velhos ou doentes, fazendo instintivamente uma seleção natural. Também se alimentam de caramujos, matando o transmissor de doenças como a esquistossomose (barriga d'água).

Apesar disso, o jacaré-do-pantanal quase foi extinto. Foi salvo por uma campanha de proteção e hoje sua população está em equilíbrio. Ao contrário dos mamíferos, os jacarés não possuem heterocromossomo (cromossomo sexual). O que vai determinar o sexo dos embriões são a temperatura ambiente (principalmente) e as outras condições ambientais de incubação.

Referência

Wikipedia / Terra da Gente


Status de Conservação da Espécie

Least Concern

Status

Pouco Preocupante

Ano avaliado
1996

Classificada por
IUCN 3.1




Mais do Terra Selvagem