Baleia-cachalote  Physeter macrocephalus
Foto: Baleia-cachalote

Fotografia por Christophe DUFOUR, CC BY-NC-ND


Compartilhe

Distribuição Geográfica
(clique no mapa)

Foto: Mapa da Distribuição Geográfica

Nome Comum
Baleia-cachalote

Nome Inglês
Sperm Whale, Spermacet Whale

Nome Científico
Physeter macrocephalus

PERFIL DA ESPÉCIE

A baleia-cachalote é uma espécie de baleia da família Physeteridae, a maior espécie de baleia com dentes, e tem o maior cérebro de qualquer animal vivo. É o único membro vivo do gênero Physeter e uma das três espécies existentes da família das baleias-cachalotes, juntamente com a baleia-cachalote-pigmeu e a baleia-cachalote-anã.

A baleia-cachalote tem uma cabeça quadrada enorme, que compreende quase um terço do comprimento total do corpo. Excepcionalmente entre os cetáceos, o espiráculo (orifício respiradouro) dessa espécie está localizado no lado esquerdo da cabeça, ao invés de ser na parte superior. Sua pele tem uma coloração que varia do marrom-escuro ao preto azulado e possui manchas. Os machos tendem a ser maiores e mais pesados do que as fêmeas, e têm cabeças maiores em relação ao seu tamanho corporal.

A enorme cabeça da baleia-cachalote contém uma grande cavidade, o órgão de espermacete, repleta de um líquido ceroso chamado óleo de espermacete. Esta cera pode ser refrigerada ou aquecida, possivelmente pela água aspirada pelo espiráculo e, portanto, diminui e aumenta a densidade (ajudando a baleia mergulhar), ou expande e aumenta a densidade (ajudando a baleia subir à superfície). Os baleeiros comparavam a substância ao sêmen, o que deu origem ao seu outro nome comum: baleia-espermacete. O nome específico macrocephalus significa cabeça grande.

Os machos têm entre 11-20 m de comprimento, e as fêmeas, têm entre 8-17 m de comprimento. Os adultos podem pesar entre 25-45 toneladas.

Biologia

A baleia-cachalote pode fazer mergulhos profundos a profundidades de até 3.000 m, que podem durar até duas horas. Este é o mergulho mais profundo feito por um mamífero. Ela usa a ecolocalização para encontrar suas presas nas profundezas do oceano escuro. Quando está forrageando, as poderosas ondas sonoras emitidas a partir da sua grande cabeça podem atordoar ou até mesmo matar lulas, polvos e peixes que fazem parte da sua dieta.

A baleia-cachalote vive em grupos de berçários ou grupos de solteiros. Um grupo de berçário consiste de um número de fêmeas adultas e machos e fêmeas imaturas. Os machos deixam esses grupos quando se tornam maduros e se juntam em grupos de solteiros, que consistem de machos com idade entre 7-27 anos. Machos mais velhos vivem em pequenos grupos ou individualmente, e visitam os grupos de berçários para acasalamento com as fêmeas durante a época de reprodução. A maioria dos grupos de baleias-cachalotes tendem a numerar entre 10-15 indivíduos.

A fêmea da baleia-cachalote dá à luz um único filhote, que nasce entre julho e novembro, após um período de gestação de cerca de 16 meses. Ao nascer, o filhote tem cerca de 4 m de comprimento, e pesa até 500 kg. O filhote é amamentado por até dois anos. Grupos de fêmeas protegem seus filhotes adotando uma defensiva "formação margarida", na qual os filhotes são colocados no centro do grupo por um círculo de fêmeas com suas caudas voltadas para fora. As fêmeas dão à luz a cada 4-20 anos, e cuidam dos filhotes por mais de uma década.

Os machos da baleia-cachalote atingem a maturidade sexual aos 10 anos de idade, mas não começam a acasalar até que estejam com cerca de 19 anos de idade e um comprimento de 13 m. As fêmeas atingem a maturidade sexual entre 7-11 anos de idade, quando estão com cerca de 9 m de comprimento. Esta espécie pode viver mais de 60 anos.

Habitat

A baleia-cachalote habita o oceano aberto, mas ocasionalmente ela pode ser vista perto do continente, desde que a água tenha uma profundidade superior a 200 m. Ela ocorre em águas tropicais até águas subpolares.

Distribuição

A baleia-cachalote é encontrada em todos os oceanos do mundo, exceto no alto Ártico.

Referência

Wikipedia (Inglês) / Arkive


Status de Conservação da Espécie

Vulnerable

Status

Vulnerável

Ano avaliado
2008

Classificada por
IUCN 3.1




Mais do Terra Selvagem