Viúva-negra-americana  Latrodectus mactans
Foto: Viúva-negra-americana

Fotografia por Jessica Lucia, CC BY-NC-ND


Compartilhar

Espécie

Nome Comum
Viúva-negra-americana

Nome em Inglês
Southern Black Widow

Nome Científico
Latrodectus mactans

Viúva-negra é o nome que se dá em geral às aranhas do gênero Latrodectus, de distribuição cosmopolita. Existem atualmente 32 espécies reconhecidas neste gênero.

A viúva-negra-americana, é uma espécie de aranha altamente venenosa (seu veneno é neurotóxico). Elas são bem conhecidas pela distinta coloração preta e vermelha da fêmea e pelo fato de que ocasionalmente comem seu companheiro após a cópula. A espécie é nativa dos Estados Unidos, Canadá e México. O veneno da fêmea da viúva-negra é particularmente nocivo para os seres humanos (os machos quase nunca picam seres humanos). A inoculação do veneno dessa espécie é uma picada relativamente perigosa ou letal.

Uma fêmea adulta mede cerca de 3,8 cm de comprimento e 0,64 cm de diâmetro. Possui coloração negra brilhante, com uma marca vermelha em forma de uma ampulheta na superfíce ventral (embaixo) de seu abdômen arredondado. Há muita variação no tamanho da fêmea, particularmente em fêmeas transportando ovos (prenha). O abdômen de uma fêmea prenha pode medir mais de 1,25 cm de diâmetro. Muitas fêmeas  também tem uma mancha laranja ou vermelha um pouco acima das fiandeiras na parte superior do abdômen.

O macho é preto, ou mais próximo da aparência dos juvenis na cor, e é muito menor com o corpo medindo menos de 0,75 cm.

Os juvenis têm uma aparência bem diferente dos adultos, o abdômen é de cor cinza ao preto com listras brancas e possui pintas amarelas e laranjas.

A viúva-negra, normalmente se alimenta de uma variedade de insetos. Quando a presa cai na sua teia, ela rapidamente a agarra, então inocula o seu veneno. O veneno leva cerca de dez minutos para fazer efeito e, ao mesmo tempo, a presa é mantida firmemente pela aranha. Quando os movimentos da presa cessam, enzimas digestivas são liberadas dentro do ferimento da presa. As enzimas dissolvem o corpo da presa e ela suga o líquido resultante.