Escorpião-imperador  Pandinus imperator
Foto: Escorpião-imperador

Fotografia por Zanthia, CC BY-NC-SA


Compartilhar

Espécie

Nome Comum
Escorpião-imperador

Nome em Inglês
Emperor Scorpion

Nome Científico
Pandinus imperator

O escorpião-imperador é uma das maiores espécies de escorpião do mundo, com adultos medindo cerca de 20 cm de comprimento. No entanto, algumas espécies de escorpiões-da-floresta são bastante semelhantes ao escorpião-imperador em tamanho, e um escorpião, Heterometrus swammerdami, detém o recorde de ser o maior escorpião do mundo com 23 cm de comprimento. O período de vida do escorpião-imperador normalmente varia de 5 a 8 anos quando mantidos em cativeiro.

O escorpião-imperador tem um corpo escuro que varia do verde-azul escuro ao marrom ou preto. As grandes pinças são vermelhas escuras e têm uma textura granular. A parte frontal do corpo, ou prossoma, é composta de quatro seções, cada uma com um par de pernas. Atrás do quarto par de pernas estão estruturas semelhantes a um pente conhecidas como pectinas - essas estruturas são maiores nos machos e podem ser utilizadas pelo homem para distinguir os sexos.

A cauda, conhecida como metassoma, é longa e curva para trás sobre o corpo. Ela termina no grande receptáculo contendo as glândulas de veneno e está inclinada com o ferrão curvo e afiado. Sua picada em seres humanos é classificada como leve (semelhante a uma picada de abelha) a grave, dependendo da espécie. Pelos sensoriais cobrem as pinças e cauda, permitindo que o escorpião-imperador detecte suas presas através de vibrações no ar e no solo.

Todos os escorpiões emitem fluorescência devido a uma substância que se encontra em uma camada fina de sua carapaça, conhecida como camada hialina. É um mistério o porquê escorpiões fluorescem, uma vez que a substância é desconhecida e não é encontrada em qualquer lugar na natureza. Ela nunca foi isolada, mesmo após tentativas de biólogos. Mas a substância se dissolve em álcool pela imersão de um escorpião em um frasco de álcool etílico por algumas semanas.

A fêmea dá à luz entre 9 e 32 filhotes após um período de gestação de 7-9 meses, que permanecem com ela por algum tempo. Os filhotes são brancos quando nascem, mas escurecem a cada muda, atingindo a maturidade sexual aos quatro meses. O escorpião-imperador apresenta um grau de comportamento social, com tocas frequentemente habitadas por 15 ou mais indivíduos.

O escorpião-imperador se alimenta de insetos, aracnídeos, ratos e pequenos lagartos que caça à noite com seus pelos sensoriais (tricobótrios). Ele tem uma visão fraca é predado por morcegos, aves, pequenos mamíferos, grandes aranhas, centopéias, grandes lagartos e outros escorpiões. Tal como acontece com outros escorpiões que possuem grandes e fortes pinças, o escorpião-imperador usa as pinças para matar e manipular a presa, reservando seu ferrão para presas maiores ou para auto-defesa.

O escorpião-imperador habita florestas tropicais e savanas abertas. Ele usa tocas sob o solo e se esconde sob pedras e detritos, e muitas vezes também usa buracos de cupinzeiros. É encontrado em vários países africanos, incluindo Benim, Burquina Faso, Costa do Marfim, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Togo, Libéria, Mali, Nigéria, Senegal e Serra Leoa.

Pandinus Imperator é derivado da palavra grega "Pan", que significa Terrível Deus da Floresta, e Imperator, maior Rei/Imperador. A tradução comum significa "Terrível Rei da Floresta", pois seus habitats nativos são florestas e planícies na região central da África Ocidental.