Gato-do-mato-grande  Leopardus geoffroyi
Foto: Gato-do-mato-grande

Fotografia por Joachim S. Müller, CC BY-NC-SA


Compartilhe

Distribuição Geográfica
(clique no mapa)

Foto: Mapa da Distribuição Geográfica

Nome Comum
Gato-do-mato-grande

Nome Inglês
Geoffroy's Cat

Nome Científico
Leopardus geoffroyi

PERFIL DA ESPÉCIE

O gato-do-mato-grande é um pequeno felino selvagem, com tamanho aproximado de um gato-doméstico grande.

O gato-do-mato-grande tem em média, 60 cm de comprimento (cabeça-corpo) e uma cauda relativamente curta de 31 cm. Este felino pesa entre 2-5 kg, apesar de relatos de espécimes com mais de 7 kg. Em geral, espécimes do sul da sua área de ocorrência são maiores do que os espécimes do norte, e os machos são maiores que as fêmeas.

A pelagem do gato-do-mato-grande tem vários pontos/manchas pretas, mas a cor de fundo varia de região para região: no norte, uma pelagem marrom-amarelo é mais comum; mais ao sul, a pelagem é cinzenta. Assim como a maioria dos felinos selvagens, o pelo da região ventral é mais pálido, sendo de cor creme ou até mesmo branco. Existem faixas escuras na cauda e membros, e marcas semelhantes nas bochechas e na parte superior da cabeça e pescoço. A parte de trás das orelhas é preta com manchas brancas. Indivíduos melanísticos são comuns na natureza e em cativeiro.

Incomum entre os felinos, o gato-do-mato-grande já foi observado levantando-se sobre suas pernas traseiras para verificar o ambiente ao redor, usando sua cauda como apoio. Uma postura similar é vista em doninhas, suricatas e cães-das-pradarias, mas geralmente não em outros felinos.

Biologia

O gato-do-mato-grande é principalmente noturno, mas já foi visto caçando ao amanhecer e ao entardecer. Ele gosta de água e é um excelente nadador. Reservado e solitário, ele passa a maior parte de seu tempo nas árvores. Este felino é conhecido por dormir e acasalar nas árvores.

O gato-do-mato-grande é um caçador não muito seletivo. Ele inclui uma grande variedade de animais em sua dieta, se alimentando de quase qualquer presa que ele puder capturar. Sua dieta inclui aves, peixes, anfíbios, répteis, roedores, pequenas cutias, lebres e outros pequenos mamíferos.

O gato-do-mato-grande é um felino solitário e geralmente tem contato com outros de sua espécie apenas durante a época de acasalamento. As fêmeas têm territórios que variam de 2-6 km², enquanto os machos têm territórios maiores, chegando até 12 km².

A época de reprodução do gato-do-mato-grande ocorre de outubro a maio. A fêmea dá à luz a uma ninhada de 1-4 filhotes por ano. O período de gestação é de 72-78 dias, e a maioria dos nascimentos ocorrem entre dezembro e maio. Os filhotes nascem cegos e indefesos, pesando entre 65-95 g, e o desenvolvimento é um pouco mais lento do que o gato-doméstico. Eles começam a comer alimento sólido depois de 6-7 semanas. Os filhotes se tornam independentes aos 8 meses de idade, mas geralmente atingem a maturidade sexual aos 18 meses de idade para as fêmeas e, 24 meses para os machos. Esta espécie pode viver até 14-15 anos na natureza e até 20 anos em cativeiro.

Habitat

O gato-do-mato-grande tem um habitat muito variado, e ocorre do nível do mar até 3.300 m de altitude. Ele vive principalmente ao longo de rios na vegetação densa e rasteira. Ele também pode ser encontrado em bosques abertos, savanas, pântanos e até pastagens, embora evite áreas abertas.

Distribuição

O gato-do-mato-grande ocorre em quase toda a metade sul da América do Sul. Isto inclui a Argentina, Chile, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Ameaças

Atualmente, a perda e a fragmentação do habitat, e a morte por retaliação devido ao ataque do felino a aves domésticas, são as principais ameaças para o gato-do-mato-grande.

Subespécies

  • Leopardus geoffroyi geoffroyi
  • Leopardus geoffroyi euxantha
  • Leopardus geoffroyi leucobapta
  • Leopardus geoffroyi paraguae
  • Leopardus geoffroyi salinarum

Referência

Wikipedia (Inglês) / Animal Diversity Web / IUCN


Status de Conservação da Espécie

Near Threatened

Status

Quase Ameaçada

Ano avaliado
2008

Classificada por
IUCN 3.1